U.Porto celebra o Mar na Casa Comum

O navegador açoriano Genuíno Madruga será um dos protagonistas da primeira sessão do ciclo. (Foto: DR)

O Auditório da Casa Comum, no edifício da Reitoria da Universidade do Porto, vai acolher, ao longo do próximo mês, um ciclo de conversas informais em que se pretende chamar a atenção para a importância que o mar teve, tem e terá num futuro muito próximo para o bem-estar da humanidade.

Protagonizado por professores de investigadores da U.Porto e de outras instituições de ensino superior e culturais da cidade, o ciclo “A Cultura do Mar” arranca já esta sexta-feira, dia 10 de maio, com uma sessão em jeito de homenagem a Fernão Magalhães, o navegador português que, há 500 anos atrás, provou que era possível circum-navegar a Terra. E a falar sobre este e outros feitos protagonizados por navegadores portugueses estará Genuíno Madruga, navegador açoriano que já realizou duas voltas ao mundo à vela e em solitário.

A sessão, que contará ainda com a participação de Amândio Barros, professor do Politécnico do Porto (P.Porto) e investigador do CITCEM-UP (Centro de Investigação Transdisciplinar. Cultura, Espaço e Memória – U.Porto), vai abrir ao som da Associação dos Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto, que irá apresentar a obra A Proposição dos Lusíadas| Alfonsina y el mar.

Ao longo do mês de maio haverá ainda espaço para mais três sessões (ver programa completo), nas quais se vai refletir sobre “o Passado do Mar” (14 de maio), a Descoberta do Mar (21 de maio) e “o Futuro do Mar” (28 de mail).

A iniciativa encerra no dia 8 de junho, com a apresentação da peça de teatro “Maresia”, pelo NEFUP – Núcleo de Etnografia e Folclore da U.Porto.

Todas as sessões têm início às 21h00 e têm entrada livre.

Mais informações aqui, ou através do e-mail cultura@reit.up.pt.