Dois projetos liderados por investigadores da Universidade do Porto estão entre os 12 selecionados no âmbito do concurso “AI 4 COVID-19: Ciência dos Dados e Inteligência Artificial na Administração Pública para reforçar o combate à COVID 19 e futuras pandemias – 2020”, promovido pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

Um dos projetos aprovados é o THOR (Avaliação Torácica Assistida por Computador usando POCUS) e tem como objetivo testar a utilização de inteligência artificial, através de um protótipo baseado em visão computacional, para diagnóstico e avaliação da COVID-19. O projeto é liderado por Miguel Coimbra, investigador do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) e professor na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP).

A ecografia pulmonar permite um diagnóstico e monitorização rápidos da COVID-19 nos casos em que não seja conveniente a realização de outros exames. A utilização de ultrassonografias ao tórax (Point-of-Care Ultrasound -POCUS) é particularmente interessante, uma vez que permite o diagnóstico da pneumonia viral associada à maioria dos casos graves da doença, através da identificação do espessamento pleural e da presença de padrões característicos das linhas B (linhas verticais na periferia do pulmão).

No entanto, “o uso generalizado desta técnica encontra-se limitado pela complexidade operacional de um exame de ultrassom. Esta questão cria assim uma oportunidade para explorar o potencial da Inteligência Artificial (IA), mais concretamente na visão computacional como um potenciador para a utilização do POCUS de forma massiva”, explica Miguel Coimbra.

Miguel Coimbra é investigador do INESC TEC e docente do departamento de Ciência de Computadores da FCUP. (Foto: CINTESIS)

Este projeto resulta de uma colaboração multidisciplinar entre o INESC TEC (visão computacional), o Hospital Garcia da Horta (medicina), a FC.ID (visão computacional) e a Nevarotech (interoperabilidade, prototipagem e transferência de tecnologia).

O outro projeto da U.Porto selecionado pela FCT é liderado pelo investigador Fernando Lobo Pereira, da Faculdade de Engenharia (FEUP), e propõe-se a estudar o “Impacto das medidas de confinamento relativas ao COVID-19 sobre mobilidade, poluição do ar, saúde e indicadores macroeconómicos em Portugal: uma abordagem em Aprendizado de Máquina”.

Ao todo, os 12 projetos selecionados pela FCT contarão com um investimento total de 3 milhões de euros, e terão uma duração que pode variar entre dois e três anos.