Tecnologia permite fazer “like” em objetos reais

O projeto dos estudantes da FEUP disputa agora um prémio no valor de 3000 €

À boleia do fenómeno do Facebook, certamente já passou pela cabeça de muitos a possibilidade de fazer “like”/”gosto” em objetos ou situações do nosso dia-a-dia. Esta “vontade” virtual já é possível também no mundo real. Quatro estudantes da FEUP idealizaram e desenvolveram o projeto, que está agora a disputar um prémio de 3.000€ no concurso de ideias de negócio “Spin 2012 – Da Universidade à Empresa”, da RedEmprendia.

Miguel Ferreira do Amaral, Miguel Araújo (estudantes do Programa Doutoral em Engenharia Civil), Tiago Marques (Programa Doutoral em Engenharia Informática) e Joel Carvalho (formado em Engenharia Civil pela FEUP e atualmente a trabalhar na empresa National Oilwell Varco) contam que a ideia do projeto surgiu durante uma visita a um museu “desinteressante” de arte sacra, no âmbito de um curso de verão numa universidade alemã. De repente, depararam-se com um quadro que realmente despertou a atenção e que era digno de um “like”.

Assim nasceu a ACAdivulgue, uma plataforma que disponibiliza várias ferramentas ligadas às redes sociais, como o “TAG Technology” e o “SCAN Technology”, que quando usadas em simultâneo, permitem aos utilizadores fazerem “likes”, “shares” e “comments”, em quadros de uma galeria ou em esculturas de um museu.

Os estudantes da FEUP explicam que “à entrada do museu, o visitante encontra um computador onde pode efetuar o seu login na página do Facebook. Após este processo, recebe um TAG que retém a informação prestada de forma encriptada. Em seguida, inicia a viagem pela galeria onde poderá selecionar as obras artísticas que mais aprecia através de um ´like´”. O visitante pode ainda optar por utilizar um smart phone, bastando aproximar a câmara do telemóvel à tecnologia da ACAdivulge exposta em cada obra. A partir desse momento, o visitante comunica a todos os seus contactos do Facebook que apreciou determinada obra de arte, cuja imagem fica visível e disponível para que outros seguidores também a apreciem, mesmo sem estarem fisicamente no museu.

“As potencialidades deste modelo de divulgação vão para além do contributo à cultura portuguesa. Não só desperta a curiosidade do turista estrangeiro mas também a curiosidade interna promovendo o conceito “vá para fora cá dentro””, destacam os jovens empreendedores. A tecnologia já foi implementada na Cordeiros Galeria, no Porto, e também no Centro Porsche Braga, durante a apresentação de um novo modelo da marca.

Para participar no concurso da RedEmprendia, destinado aos estudantes de universidades ibero-americanas, cada equipa teve que elaborar um vídeo sobre o seu projeto. Os finalistas do concurso serão selecionados de entre os vídeos mais votados pelo público que assim terão a oportunidade de apresentar a sua ideia no “RedEmprendia Spin2012” – fórum de empreendedorismo, a decorrer de 27 a 28 de novembro, em Madrid.

  • Pedro Silva

    Que estupidez! Ideia sem qualquer sentido! Inovação é diferente de ideias sem nexo