Rosa Mota vai ser Doutora Honoris Causa da U.Porto

O Reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, assinou o despacho de concessão do título de Doutor Honoris Causa na presença de Rosa Mota. (Foto: U.Porto)

A campeã olímpica Rosa Mota vai ser distinguida pela Universidade do Porto com o título de Doutora Honoris Causa. O despacho de atribuição do doutoramento foi assinado esta quinta-feira, 14 de junho, pelo Reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, na presença da própria atleta.

Proposta pela Faculdade de Desporto (FADEUP) e com parecer favorável unânime pelo Senado da Universidade, a concessão do título de Doutora Honoris Causa é justificada pelo “notabilíssimo percurso de vida” de Rosa Mota.

Como se pode ler no despacho assinado por Sebastião Feyo de Azevedo, a maratonista portuense é “detentora de uma extraordinária carreira desportiva, com um desempenho inigualável que a tornou uma lenda do Desporto, se elevou, pela sua continuada conduta cívica exemplar, a símbolo regional, nacional e mundial”.

Na sua fundamentação, o Reitor da Universidade do Porto evoca ainda “o extraordinário papel de Embaixadora de Portugal, e especialmente das Gentes do Norte, no Mundo” desempenhado por Rosa Mota, para além da sua “disponibilidade e apoio às iniciativas da FADEUP”, nomeadamente como membro do Conselho de Representantes daquela faculdade desde 2014.

O momento de assinatura do despacho contou ainda com a presença do Diretor (esq.) e do Presidente do Conselho de Representantes (dir.) da FADEUP, autores da proposta de concessão do título. Foto: U.Porto)

A própria homenageada declarou-se “profundamente agradecida à FADEUP e à Universidade do Porto pela confiança” em si depositada com esta distinção. “Sinto-me honrada por ver reconhecido tudo o que fiz pelo nosso país… e o que continuo a fazer!”, afirmou Rosa Mota após a assinatura do despacho que a consagra como a próxima Doutora Honoris Causa da Universidade do Porto.

Na ocasião estiveram também presentes o Diretor da FADEUP, António Manuel Fonseca, e João Paulo Vilas Boas, professor e presidente do Conselho de Representantes da faculdade, subscritores da proposta original de concessão do título.

Nascida no Porto a 29 de junho de 1958, Rosa Mota sagrou-se campeã olímpica, mundial e europeia de maratona. Foi a primeira mulher portuguesa a conquistar uma medalha de ouro olímpica, quando venceu a prova da maratona nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, depois de quatro anos antes, nas Olimpíadas de Los Angeles, ter conquistado a medalha de bronze.

Considerada uma das melhores maratonistas de sempre e uma das maiores atletas da história do desporto português, Rosa Mota já recebeu as mais elevadas homenagens e distinções nacionais e internacionais, incluindo a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e a Grã-Cruz da Ordem do Mérito, mas este será o seu primeiro Doutoramento Honoris Causa.

A cerimónia de atribuição do título irá realizar-se em data a anunciar.