Programas públicos de habitação em debate na Faculdade de Arquitetura

O Bairro de Ramalde foi projetado pelo arquiteto Fernando Távora em 1952, é um dos projetos que integra a base de dados Mapa da Habitação (Foto: Horário Novais, 1910-1988).

Nos dias 6, 7 e 8 de maio de 2019, realiza-se na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) e na Casa da Música, o Congresso Internacional “AFFORDABLE HOUSING. THE 20TH CENTURY LEGACY. Learning from the past. What future? Challenges and opportunities”.

Diferentes áreas disciplinares e temáticas serão convocadas e debatidas neste congresso de encerramento do projeto FCT “Mapa da Habitação: Reflexão crítica sobre a arquitectura habitacional apoiada pelo Estado em Portugal (1910-1974)”.

A abertura do evento é assinalada com a estreia do documentário “Morada” (6 de maio, 19h00, FAUP), realizado pelo arquiteto Luís Urbano, que propõe um percurso cinematográfico pela arquitetura habitacional apoiada pelo Estado, em Portugal, estudada no projeto Mapa da Habitação da FAUP. Através de um movimento contínuo numa morada fictícia, sugerem-se contextos e revelam-se alguns dos mais emblemáticos edifícios construídos pelos programas públicos de habitação ao longo de um dos mais contestados períodos da história recente portuguesa.

O encerramento, na Sala Suggia da Casa da Música, está a cargo do arquiteto chileno Alejandro Aravena, conhecido pelo desenvolvimento de ideias e projetos inovadores de habitação social, e que apresenta a conferência “The right left to housing?” (8 de maio, às 18h45).

Entre os keynote speakers destaca-se a passagem pelo Porto de Mark Swenarton, reconhecido historiador de arquitetura, crítico e professor da University of Liverpool, de Franz Graf, arquiteto, professor e investigador na área da recuperação do património arquitetónico do século XX na Accademia di Architettura di Mendrisio e na École Polytechnique Fédérale de Lausanne, e de Leandro Medrano, arquiteto e professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

As sessões de debate e discussão dos quatro tópicos têm como convidados arquitetos, sociólogos e historiadores: Orsina Simona Pierini, Sónia Alves, Helena Roseta, Olivier Chadoin, Virgílio Borges Pereira, Eliseu Gonçalves, Daniel Movilla Vega, Gaia Caramellino, Cristina Renzoni, Carmen Díez Medina, Gonçalo Canto Moniz, Joana Restivo, Javier Monclús Fraga.

O arquiteto chileno Alejandro Aravena, Prémio Pritzker em 2016, vai proferir dia 8 de maio a conferência de encerramento do Congresso ‘AFFORDABLE HOUSING. THE 20TH CENTURY LEGACY’ (Foto: Sergio Lopez).

A moderação dos painéis e comentário está a cargo dos jornalistas Cândida Pinto e Valdemar Cruz e dos arquitetos Ana Tostões, José António Bandeirinha, Carmen Espegel, Rui Jorge Garcia Ramos.

O programa do Congresso inclui também a exposição ‘Habitação em Portugal: História e Contemporaneidade dos Bairros financiados pelo Estado entre 1910 e 1974’, comissariada pelas arquitetas Marta Rocha e Raquel Paulino, que propõe um percurso pela Habitação Programada pelo Estado Português entre 1910 e 1974, atravessando os períodos da 1.ª República, da Ditadura Militar e do Estado Novo.

A mostra faz o mapeamento de 630 bairros construídos no contexto das 24 iniciativas criadas pelo Estado no período referido e apresenta quatro projetos de intervenção contemporânea em quatro bairros da cidade do Porto que se consideram paradigmáticos. A exposição, de entrada livre, pode ser visitada de 6 de maio a 7 de junho de 2019, de segunda-feira a sexta-feira, entre as 9h00 e as 19h00, na Galeria de Exposições da FAUP.

Este congresso marca assim o encerramento do projeto “Mapa da Habitação”, coordenado pelo arquiteto, professor e investigador Rui Jorge Garcia Ramos, cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do COMPETE 2020 – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI) e por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e Tecnologia (projeto POCI-01-0145-FEDER-007744).

Através deste projecto, procurou-se identificar dos programas públicos de habitação, sistemas de construção e as suas concretizações espaciais – bairros, edifícios de habitação coletiva ou habitações unifamiliares -, bem como apontar a relação entre os programas e iniciativas públicas de habitação e os contextos políticos e legais, compreender as políticas sociais em causa e georreferenciar os contextos urbanos nos quais se inserem os bairros.

O projeto de investigação concretiza-se através da construção de uma base de dados disponível em https://mappingpublichousing.up.pt/ e em permanente actualização, contando com mais de 900 registos de bairros. A base de dados (só parcialmente de acesso livre), para além de um elenco de bairros e programas habitacionais e das fontes documentais que os informam, é ponto de partida para a proposição de narrativas e contra-narrativas, historicamente informadas, relevantes para outra leitura da arquitetura do século XX e um instrumento para a presente intervenção arquitetónica nestes bairros.

Deste modo, cumpre-se um dos objectivos do projecto que inclui, para além da sistematização, categorização e relacionamento de documentos e dados, uma plataforma de comunicação e de conhecimento com um amplo contexto nacional e internacional para a observação do tráfego de normas e modelos entre promoção pública e privada de habitação.

O Congresso é organizado pelo grupo de investigação Atlas da Casa do CEAU-FAUP, com a parceria da Casa da Música, da A.MAG International Arquitecture Technical Magazine e da Much more than a Window, e o apoio institucional e à divulgação da Casa da Arquitectura, Ordem dos Arquitectos – Conselho Directivo Nacional, Ordem dos Arquitectos – Secção Regional do Norte, Metro do Porto e Câmara Municipal do Porto.

Os bilhetes para a conferência de encerramento pelo arquiteto Alejandro Aravena estão disponíveis na bilheteira local e online da Casa da Música. As inscrições para ao Congresso encontram-se já encerradas por ter sido atingido o limite de capacidade de lotação do Auditório Fernando Távora da Faculdade de Arquitetura.