Professor da FAUP representa Portugal em Bienal na Jordânia

O projeto da escola EB1 de Sernancelhe é um dos seis que Adalberto Dias apresentará na Bienal de Arquitetura do Mediterrâneo.

Adalberto Dias, professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP)  vai representar Portugal na Bienal de Arquitetura do Mediterrâneo, que se realiza de 21 a 23 de Fevereiro na cidade de Aqaba, na Jordânia.

O Professor da FAUP apresentará nesta bienal seis projetos representativos da sua obra, que conta já com mais de três décadas. Os projetos selecionados foram o elevador dos Guindais na Ribeira do Porto (1999), a residência de estudantes da Universidade de Aveiro (1998), duas moradias no Porto (2001) e em Ílhavo (2005), o projeto  da Escola EB1 de Sernancelhe (ainda em construção), e a participação no concurso (que lhe valeu o 2º lugar) para a Escola de Gestão da Universidade do Porto (2011).

Em declarações ao jornal Público, Adalberto Dias destaca a forte influência da cultura mediterrânica na arquitetura portuguesa, e reconhece: “Numa bienal virada para a arquitetura mediterrânica, eu vou levar a nossa arquitetura atlântica, mas sabendo que ela é também muito influenciada pelo Mediterrâneo, de que afinal estamos próximos”.

O arquiteto português participará, ainda, numa mesa redonda que conta com a participação de nomes sonantes da arquitetura internacional. Entre eles destacam-se o espanhol Alberto Campo Baeza, o italiano Sandro Raffone e o francês Rudy Riccioti.

A participação nesta Bienal reforça o reconhecimento de Adalberto Dias como um dos principais nomes da arquitetura portuguesa dos últimos anos. Formado pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, colaborou com Álvaro Siza na década de 70, tendo sido nomeado para os prémios Mies van der Rohe (1995), IberFad (1996) e Secil (1998) e premiado, por duas vezes, na Trienal de Arquitetura de Sintra.