Prémios Incentivo’17: Tiago Borges

Natural do Porto, o estudante de 19 anos sentiu algumas dificuldades na adaptação a uma nova realidade durante as primeiras semanas, mas acabou por descobrir “capacidades que julgava não ter”. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

Tiago Borges acredita que vale a pena lutar pelos sonhos porque “mais cedo ou mais tarde, algo de bom irá acontecer”. Depois de um ano “de mudança, de grandes amizades e muitos desafios”, o estudante da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto (FMDUP) viu o seu esforço ser recompensado com a edição 2017 do Prémio Incentivo da U.Porto, graças à média de 16,56 valores com que  terminou o primeiro ano do Mestrado Integrado em Medicina Dentária.

– Uma razão para ter escolhido a U.Porto?

Além de ser do Porto, o destaque que a Universidade tem no panorama do Ensino Superior em Portugal e, também, a nível internacional.

– O balanço deste primeiro ano na Universidade?

O meu primeiro ano na U.Porto foi uma brutalidade! Um ano de adaptação, de mudança, de grandes amizades e muitos desafios. Foi difícil a adaptação nas primeiras semanas, um ritmo e exigência diferentes, mas que levaram a um crescimento pessoal enorme, descobri em mim capacidades que julgava não ter. É um balanço muito positivo, um ano que me trouxe inúmeras conquistas e me fez perceber que tudo é possível se realmente entendermos o que podemos dedicar a cada coisa. É espantoso pensar o que consegui realizar no meu primeiro ano no ensino superior.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

De ser a melhor Universidade do país em muitos rankings, do dinamismo que cria entre algumas das suas instituições, do próprio dinamismo que estabelece com a cidade do Porto, mantendo muitas tradições e edifícios que dão outra grandeza à cidade. Mantém um excelente ambiente de convívio entre os seus estudantes, tão importante para os que frequentam esta Universidade.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Enquanto aluno de Medicina Dentária, penso que falta investir em mais e melhores equipamentos, materiais e recursos. Existe também uma pesada carga de trabalho e uma exigência despropositada em algumas unidades curriculares, pois creio que uma organização cuidada poderia levar a um maior proveito dos estudantes e um consequente melhoramento na formação académica.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

A continuação da promoção de um ensino com mais qualidade, ajustando o investimento e os recursos às necessidades de cada faculdade, e potenciar as relações internacionais com grandes instituições.

– Um desejo para a Universidade do Porto, no seu aniversário?

À U.Porto, desejo que continue o seu trabalho exemplar na transmissão e busca de conhecimento, que continue a lutar por melhores lugares nos rankings nas diversas áreas de ensino e que saiba corresponder às necessidades dos seus estudantes e do seu país.

– Qual a importância do Prémio Incentivo para o futuro?

Como o próprio nome indica, é um incentivo, é uma recompensa que mostra aos estudantes que o esforço é recompensado, que vale a pena lutar pelos nossos sonhos e que se assim o fizermos, mais cedo ou mais tarde, algo de bom irá acontecer.