Plataformas Científicas do i3S «abrem as portas» à comunidade

Nas Plataformas Científicas do i3S encontram-se valências únicas no País.

Sabia que existe no Porto, num só edifício, um conjunto de plataformas científicas dotadas de tecnologia de ponta e cientistas especializados que podem ajudar a avançar os mais variados projetos científicos? Espetrometria de massa, microscopia ótica e eletrónica, citometria, nanotecnologia… Sim, no Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) é possível encontrar estas e muitas mais tecnologias. E no dia 2 de outubro, no «i3S Scientific Platforms Open Day», membros de outras instituições académicas, de serviços de saúde ou de empresas a atuar na área terão oportunidade de as conhecer de perto e de contactar com as equipas do Instituto.

As Plataformas Científicas do i3S vão «abrir as portas» à comunidade científica com o objetivo de mostrarem todas as potencialidades que têm para oferecer. André Maia, da organização do evento, sublinha que estas unidades, “para além de disponibilizarem a utilização de equipamentos tecnologicamente avançados, têm como mais valia recursos humanos altamente especializados e experientes nas mais variadas técnicas e tecnologias, o que lhes permite oferecer aos grupos de investigação ou parceiros da indústria soluções personalizadas para o desenvolvimento dos mais desafiantes projetos na área da saúde”.

Reflexo da qualidade dos recursos humanos do i3S, sublinha André Maia, «é a coordenação ou participação dos membros das Plataformas científicas em redes nacionais de referência, como a Plataforma Portuguesa de Biomagem (PPBI), a Rede Portuguesa de Espectrometria de Massa (RNEM) e o Serviço Nacional para a Sequenciação e Análise de Genomas (GenomePortugal), e internacionais como a NEUBIAS (Network of European Bioimage Analysts) e a ARBRE-MOBIEU (Association of Resources for Biophysical Research in Europe)».

Nas Plataformas do i3S encontram-se valências únicas no País que permitem abordagens que vão desde a escala do átomo até à do organismo, permitindo assim a realização de estudos completos que possibilitam um conhecimento aprofundado e alargado dos processos em estudo nas áreas da Biologia Estrutural, Bioquímica, Biologia Celular, Imunologia, Oncobiologia, Neurociências, Medicina Regenerativa, Bioengenharia, Modelos Pré-clínicos e Análise de Imagem.

As Plataformas Cientificas do i3S integram variadíssimas tecnologias, desde a determinação da estrutura molecular com resolução atómica por difracção de raios X, passando pela genómica, proteómica, microscopia ótica avançada, microscopia eletrónica de transmissão e histologia, até à experimentação em diversos modelos animais como o rato, o ratinho ou o embrião de galinha.

As Plataformas Científicas dispõem ainda de tecnologias únicas no País, como a produção de todo o tipo de proteínas para R&D; técnicas de rastreio de alto rendimento utilizando a aquisição de imagens de microscopia que permitem responder ao desafio cada vez mais crescente de avaliar grande número de parâmetros de forma a definir, testar e validar novas estratégias terapêuticas; diferentes técnicas para o estudo das interações entre macromoléculas mediante métodos biofísicos e de microscopia; e técnicas de imagem não invasivas aplicadas em estudos pré-clínicos que permitem a redução na utilização de animais de experimentação.

A atividade das Plataformas Cientificas do i3S abarca ainda o desenvolvimento e participação em vários cursos práticos de formação internacionalmente reconhecidos, entre os quais o curso de ciências de animais de laboratório, o único no Pais reconhecido internacionalmente pela organização FELASA (Federation for Laboratory Animal Science Associations) e o curso bienal de estudo de interacções moleculares, organizado sob a chancela da EMBO (European Molecular Biology Organization).

As inscrições para o «i3S Scientific Platforms Open Day» 2018 podem ser feitas aqui.