Armando Mansilha

A paixão de Armando Mansilha pela Medicina surgiu-lhe algures na adolescência. Ainda que na altura não tivesse a certeza do caminho que queria seguir, sentiu, desde cedo, uma atração pela vertente cirúrgica. O sonho de entrar em Medicina concretizou-se em 1986 quando conquistou um lugar na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP). Chegado o momento de escolher uma especialidade, mantinha-se a vontade de enveredar pela área cirúrgica e quando chegou o momento de decidir optou por Angiologia e Cirurgia Vascular, uma vez que, pela sua abrangência, criava um vasto leque de possibilidades.

Hoje, além de médico do Centro Hospitalar de São João (CHSJ) e docente da FMUP, Armando Mansilha integra várias sociedades científicas e destaca-se pela vertente de investigação, na qual soma mais de 100 publicações em revistas indexadas e livros. Recentemente, foi eleito presidente da Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular (SPACV) – entidade que representa centenas de profissionais em Portugal. Durante o mandato, pretende aproximar a SPACV dos órgãos de poder e dinamizar algumas áreas da especialidade para que estas se tornem mais eficientes, seja para médicos e/ou para doentes.

Continuar a explorar a vertente cientifica e de produção de conhecimento é o cenário que se coloca no futuro imediato do docente e investigador. “Independentemente do percurso, da área de atuação e da idade, é muito importante que todos os profissionais continuem a manter-se atualizados e a lutar por mais conhecimento. A investigação, a atualização e a partilha são pilares essenciais para desenvolver pensamentos originais e de translação. É também assim que se progride”, finaliza.

Naturalidade: Coimbra, mas com alma duriense
Idade? 49 anos

– De que mais gosta na Universidade do Porto?
Da diversidade de pessoas e opiniões; da riqueza multicultural e pluripotencial; do todo e das partes…

– De que menos gosta na Universidade do Porto?
Da excessiva burocracia que bloqueia e atrasa processos, que nos torna menos competitivos no mundo atual que tem uma velocidade que já não é esta; da “pequena” intriga e dos “pequenos” poderes instalados que retiram espaço ao mérito.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?
Afirmar a marca UP a nível internacional, envolver ativamente todos os “poderes” da cidade neste desígnio.

– Como prefere passar os tempos livres?
Com a família e amigos, a descansar simplesmente ou a partilhar, o tempo e a vida …

– Um livro preferido?
Os Maias, pela marca forte na adolescência

– Um disco/músico preferido?
Todos os dos GNR e do Rui Veloso, pela marca Porto.

– Um prato preferido?
Bacalhau, praticamente de todas as formas e em todas as ocasiões.

– Um filme preferido?
Difícil escolher um entre tantos que me marcaram ao longo da vida, por motivos diferentes e em momentos diversos. Gandhi, Shawshank Redemption, Voando sobre um Ninho do Cucos, a saga do Padrinho.

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?
Todas as longas viagens de carro com a família, já realizadas e as que ainda espero fazer.

– Um objetivo de vida?
Continuar a aprender, conseguir ensinar, ser correto e decente.

– Uma inspiração? 
Atualmente, o Papa Francisco.