Tem 25 anos e, em 2018, terminou o curso de Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Mas esta é apenas uma parte da história. A outra desenha-se pelos rios de todo o mundo, onde tem “pescado” dezenas de títulos e medalhas na Canoagem. Falamos de Marta Pinto, a médica, a canoísta, e a vencedora do galardão de Carreira Desportiva da XI Gala do Desporto da Universidade do Porto, que decorreu no passado dia 20 de setembro.

A paixão de Marta pelo desporto começou quando ainda estava a aprender a falar. Aos três anos, experimentou a natação, passou pelo judo e basquetebol (onde ainda ganhou algumas medalhas). Mas foi aos 11 anos, enquanto passeava de bicicleta com o pai, que descobriu que a sua verdadeira paixão estava dentro de água. Ao passarem pelo Vila do Conde Kayak Clube, o pai da Marta, que já tinha praticado Canoagem no CDUP, desafiou-a experimentar. “A coisa correu bem e passado quatro semanas estava eu a entrar na minha primeira prova de Canoagem nos Torneios Abertos, que venci”, recorda a atleta.

Seria a primeira de muitas vitórias que se seguiriam, incluindo dois títulos de campeã nacional, cinco medalhas de prata e cinco de bronze em competições nacionais. A estas somou a participação num campeonato da Europa e numa Taça do Mundo, em representação da Seleção Nacional.

Marta já conquistou dois títulos de campeã nacional, cinco medalhas de prata e cinco de bronze em competições nacionais de Canoagem. (Foto: DR)

Em 2012, começou a parte mais difícil. Com a entrada no ensino superior, na FMUP, Marta passou a conciliar a vida de estudante atleta. Confessa que foi uma adaptação complicada ao “começar a ter que ir de metro para a faculdade onde “perdia” quase três diariamente em tempo de viagens, a carga horária e de estudo triplicou, e o cansaço era tremendo”. Para gerir melhor o tempo “muitos dias treinava às 6h00 da manhã, noutros só podia treinar depois das 20h00 e comecei a aproveitar as horas de viagem para estudar”, explica.

Para a hoje médica atleta, a entrada na U.Porto significou também o início de um percurso de sucesso no desporto universitário, na sua modalidade de eleição. Entre os seus seis anos de curso e os treinos “de muito trabalho e dedicação”, Marta conquistou 13 medalhas – dez de ouro, uma de prata e duas de bronze  – em competições universitárias de Canoagem, a que somou uma participação nos EUSA Games 2018 e um prémio de Atleta do Ano Feminina na Gala do Desporto da U.Porto, em 2014. Pelo meio, deixou os remos para “dar uma perninha”na equipa de Rugby 7 feminino da U.Porto que participou EUSA Games de 2018, experiência que recorda como “uma das melhores que já tive em toda a minha carreira desportiva”.

Atualmente, e já com o curso acabado e a trabalhar, Marta está a tirar a pós-graduação em medicina desportiva na FMUP. “Independentemente da especialidade que seguir, as áreas da medicina ligadas ao desporto são as que mais me fascinam e é por aí que espero que siga o meu futuro”.

A antiga estudante da Faculdade de Medicina foi distinguida com o prémio Carreira Desportiva na XI Gala do Desporto da U.Porto, que decorreu a 20 de setembro. (Foto: DR)

Naturalidade? Porto

Idade? 25 anos

– De que mais gosta na Universidade do Porto?
Além de ser uma das melhores universidades do país é na minha cidade e por isso sinto-me em casa. Levo dela recordações eternas.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?
O que menos gosto é a distância entre pólos e faculdades, o que por vezes torna um bocadinho distante a ligação com colegas de outros cursos.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?
Tentar centralizar as faculdades num só pólo, apesar de ser difícil devido às características da cidade.

– Como prefere passar os tempos livres?
A passear e a praticar desporto.

– Um livro preferido?
“Outliers” de Malcolm Gladwell

– Um disco/músico/banda preferido?
The Script.

– Um prato preferido?
Sardinhas assadas com broa e salada.

– Um filme preferido?
Gladiador, de Ridley Scott.

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?
Para já. não tenho nenhuma.

– Um objetivo de vida?
Sentir-me realizada a nível desportivo, profissional e familiar.

– Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)
Os meus pais são a minha maior inspiração por tudo o que lutaram para eu ter uma educação melhor.

– O projeto da sua vida…
Atualmente ainda é difícil idealizar projetos a longo prazo, mas muito provavelmente vão estar ligados à medicina e ao desporto.

– Um desejo para a Canoagem e o Desporto Universitário em Portugal?
O desporto de alta competição e a vida académica são duas atividades muito difíceis de conciliar especialmente sem apoios. Espero que num futuro próximo sejam ainda mais valorizados os estatutos de atleta de alta competição para estudantes e que sejam criadas condições a todos os atletas que queiram além de uma vida desportiva, conseguir conciliar uma vida académica. Espero também que a equipa de Canoagem Portuguesa consiga excelentes resultados nos Jogos Olímpicos de Tóquio que se aproximam e que continue a criar condições para que os atletas da Seleção Nacional consigam prosseguir a sua vida académica em parceria com os treinos.