Tem apenas 22 anos, mas há muito que o nome de Cláudia Ferreira está ligado ao Atletismo e à conquista de títulos nacionais. Nascida em Andorra e filha de pais emigrantes, “estabeleceu-se” desde muito cedo em Viana do Castelo. Ainda na adolescência, foi campeã e recordista nacional de Lançamento do Dardo nos escalões de infantil, iniciada e juvenil, entre 2013 e 2015. Um ano depois, foi Campeã de Portugal na mesma modalidade, feito que repetiria em 2019, 2020 e 2021.

Atualmente a frequentar o 5.º ano do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), Cláudia é, desde 2017, atleta do Sporting Clube de Portugal, onde é treinada pelo Pai, Domingos Ferreira.

Entre os títulos conquistados incluem-se vários campeonatos nacionais de clubes, para além da participação no Europeu de Juniores e na Taça da Europa de Lançamentos, escalão de sub23, em 2020. Nesse mesmo ano, bateu o Record Nacional do Lançamento do Dardo no escalão sub 23, fixando o novo máximo nos 54,66 metros.

(Foto: DR)

Considerada uma das grandes promessas do Atletismo nacional, Cláudia Ferreira também tem deixado a sua marca com as cores da U.Porto. Entre 2017 e 2021, a estudante-atleta da FEUP conquistou por três vezes o título de campeã nacional universitária no Lançamento do Dardo, para além de ter vencido quatro títulos coletivos de Atletismo ao Ar Livre em representação da Universidade. Na última edição da competição, disputada em Leiria, bateu ainda o recorde nacional universitário, com um arremesso de 47,83m.

Uma vencedora nas pistas e nas salas de aula, esta futura engenheira vê a Universidade como “a casa onde sinto que tenho crescido mais e que me ajudou a ser quem sou”. Também por isso, “sinto um imenso orgulho por toda a massa estudantil que aqui estuda e que luta pelos seus objetivos!”, remata.

Cláudia Rodrigues, atleta de atletismo, lançamento de peso

Cláudia representa, desde 2017, o Sporting Clube de Portugal. (Foto: DR)

Naturalidade? Andorra la Vella, mas desde sempre com residência em Viana do Castelo.

Idade? 22 anos.

De que mais gosta na Universidade do Porto?

A localização e condições das faculdades, o ambiente estudantil e a exigência de ensino motivam-nos a melhorarmos todos os dias e continuarmos a trabalhar!

De que menos gosta na Universidade do Porto?

Não tanto pela Universidade, mas porque é uma realidade da cidade em que estudamos, sendo filha de pais de classe média-baixa, os preços para alojamento na cidade são elevadíssimos.

Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Os apoios aos estudantes-atletas, trabalhadores ou de outro estatuto que requeira tempo de dedicação – continua a ser uma realidade que muitos acabam por desistir ou da faculdade ou da ocupação por não conseguirem conciliar ou sentirem dificuldade em acompanhar o ritmo de tarefas e aulas.

O alojamento/ residências universitárias que numa triste realidade faz com que tantos estudantes tenham de trabalhar para conseguirem suportar os custos – deveria procurar regular-se o preço de alojamento ou haver mais oferta de residências para uma universidade com mais de 30 mil estudantes.

Como prefere passar os tempos livres?

Gosto de estar com os meus amigos e criar momentos aleatórios com eles, ver séries, ler ou jogar.

Um livro preferido?

Difícil escolher, mas pela paixão à saga, provavelmente Harry Potter e a Ordem de Fénix.

Um disco/músico preferido?

Álbum: The Black Parade, dos My Chemical Romance.

Banda: Paramore.

Um prato preferido?

Gosto imenso de comida e considero uma arte, o que torna dificílima a escolha! Mas, pela dedicação e carinho da minha mãe e pelas delícias que ela prepara, o seu semifrio de bolacha e café está provavelmente no topo da lista.

Um filme preferido?

Escolha difícil, mas provavelmente As Vantagens de Ser Invisível.

Uma viagem de sonho?

Tantos sítios que adorava ir! Gostava de ver os Fjords na Noruega, viajar pelo Sudeste Asiático ou ainda visitar as planícies da Mongólia de que nunca ninguém fala.

Um objetivo de vida?

Mais como um sonho de realização, visitar todos os continentes (talvez excetuando a Antártica, obviamente)!

A nível de vida pessoal, poder proporcionar aos que me acompanham o que de melhor lhes possa dar.

Uma inspiração?

Por conseguirem inovar e serem exemplos tão recentes, tenho uma grande admiração pelo Elon Musk e todo o génio que o rodeia (não sendo necessária descrição de tudo o que ele tem vindo a fazer) e pelo Sergei Brin, co-fundador da Google enquanto estudante.

Qual é a importância de representar a Universidade do Porto nas Competições Universitárias?

Em primeiro lugar, porque é a casa onde sinto que tenho crescido mais e que me ajudou a ser quem sou. Ultrapassei dificuldades e alcancei sonhos enquanto estudante da U.Porto e sinto um imenso orgulho por toda a massa estudantil que aqui estuda e que luta pelos seus objetivos!