Aos 24 anos, Carlos Nascimento é já um nome de créditos firmados no atletismo nacional. Estudante da licenciatura em Ciências do Desporto da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), este matosinhense entrou recentemente para a história ao conquistar a medalha de ouro nos Jogos Europeus 2019, em Minsk. As ambições, contudo, apontam já aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, nos quais se espera estrear na maior competição desportiva do mundo.

Foi no desporto escolar, em 2009, que os professores de Carlos perceberam que este tinha qualidade qualidades acima da média nas corridas de velocidade. “Isto porque eu ganhava, com alguma facilidade, a alunos bastante mais velhos e com uma constituição física mais “adulta”, recorda.

O outro “empurrãozinho” veio da família, pois “nessa mesma altura estava sem praticar desporto e, o meu pai, “chateado” por eu estar em casa sem fazer nada (jogar Playstation e estudar, só) sugeriu-me começar a praticar algum desporto e sair mais de casa”. É então que surge a Escola do Movimento, clube onde iniciou a prática regular no Atletismo através do primeiro e ainda atual treinador, José Silva.

Começava assim um percurso vitorioso que, dez anos depois, soma já vários recordes nacionais, nomeadamente o de 60m desde o escalão de iniciado até ao de sub23, só faltando o do escalão sénior, o qual pertence ao vice-camoeão olímpico dos 100m, Francis Obikwelu. Campeão nacional sénior pela primeira vez com apenas 17 anos, já esteve presente na final B dos primeiros Jogos Olímpicos da Juventude (1.º lugar), bem como nas finais do Campeonato do Mundo de Juniores (7.º); do Campeonato da Europa de Sub23 (8.º), ou do Campeonato da Europa de Seniores, pela estafeta.

Carlos iniciou em 2018/2019 o seu percurso na FADEUP e, ao fim de um ano, não poupa nos elogios ao “curso variado, com professores muito bons e que nos preparam bem para o futuro. Mas, “com o foco apontado aos Jogos Olímpicos de Tóquio”, teve que deixar os estudos em “standby”, pois não é fácil conciliar o curso com treinos ao mais alto nível”. Atualmente, treina três horas por dia, de segunda a sexta, e compete ao fim de semana. “E é basicamente esse o dia de um atleta de alta competição: descansar, comer bem, treinar!”, remata o atleta, que aproveita os (poucos) tempos livres para ouvir música, ver filmes e passear.

Com o curso temporariamente em segundo plano, Carlos Nascimento ainda foi a tempo de contribuir para mais um título para a U.Porto no Campeonato Nacional Universitário de Atletismo Pista Ar Livre, onde alcançou a medalha de ouro nos 200m. Mais recentemente, representou Portugal e a U.Porto nas Universíadas de Verão, em Nápoles, tendo terminado a prova de 100m no 8.º lugar.

Naturalidade? Matosinhos

Idade? 24 anos

De que mais gosta na Universidade do Porto?

Acima de tudo o prestígio que a Universidade tem. Têm diversas instituições entre as melhores da Europa e do Mundo, com docentes altamente qualificados para fazerem de nós bons profissioanis nas diferentes áreas.

De que menos gosta na Universidade do Porto?

Em relação à faculdade onde estou inserido (FADEUP), julgo que não há muito a apontar. Temos um curso variado, com professores muito bons e que nos preparam bem para o futuro. À U.Porto em geral, falando um bocado da parte pessoal, gostaria que ajudassem mais os atletas de alta competição.

Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Talvez criar mais ligações fora da Faculdade, parecerias, para dar oportunidades aos alunos de ganharem experiência para, um dia, se “safarem” mais facilmente no mercado de trabalho. Também, a criação de bolsas de mérito para atletas, alunos acima da média, etc.

Como prefere passar os tempos livres?

Viajar, ler, ouvir música, jogar jogos eletrónicos, passear, ver documentários, séries, filmes e praticar desporto em geral.

Um livro preferido?

“Por Quem os Sinos Dobram” de Ernest Hemingway.

Um disco/músico preferido?

Metallica.

Um prato preferido?

Tenho dois: carne de porco à alentejana e almôndegas (caseiras!!)

Um filme preferido?

Saga do Senhor dos Anéis/Hobbit.

Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Pequim, China.

Um objetivo de vida?

Ir aos Jogos Olímpicos.

Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

O meu avô.

O projeto da sua vida…

O atletismo e tudo aquilo que me poderá trazer.

Um desejo para o Atletismo em Portugal?

Que continue a crescer, que possamos ter a força de um desporto como o futebol e que possamos continuar a dar muitas alegrias aos portugueses.