Programa UT Austin Portugal leva investigação portuguesa aos EUA

O TACC é considerado um dos centros de supercomputação mais avançados do mundo. (Foto: DR)

Investigadores de instituições de ensino superior portuguesas, seus institutos e unidades de investigação e desenvolvimento associadas vão ter a oportunidade de participar no programa intensivo de formação em Computação Avançada promovido pelo Programa UT Austin Portugal.

Este  programa de formação avançada, que requer uma participação a tempo inteiro, vai realizar-se no Centro de Computação Avançada da Universidade do Texas em Austin (TACC), nos EUA. O TACC é considerado um dos centros de supercomputação mais avançados do mundo. O centro tem como missão possibilitar que os seus investigadores sejam dotados de um espírito empreendedor e inovador, descobrindo e explorando assim tecnologias avançadas de computação que tenham um forte impacto na ciência e na sociedade.

Aos selecionados para trabalhar no TACC vai ser financiada uma bolsa de mobilidade, de forma a cobrir as despesas decorrentes das suas estadias nos EUA, as quais podem ir até 4 meses.

As candidaturas ao programa podem ser submetidas em duas fases – até dia 3 de julho (1.ª fase) e até dia 24 de julho (2.ª fase) – para o e-mail leadership@utaustinportugal.org. Dependendo da fase escolhida pelos candidatos, os selecionados podem frequentar o programa em diferentes momentos. Os candidatos que sejam selecionados na primeira fase (até 3 de julho) vão ter a oportunidade de trabalhar no Centro de Computação Avançada de Texas de agosto a dezembro de 2018. Por sua vez, as candidaturas feitas até 24 de julho dizem respeito a um período de permanência nos EUA que pode ser feito de janeiro a maio de 2019, de maio a agosto de 2019 ou de agosto a dezembro de 2019.

Aos participantes ser-lhes-á atribuído um estatuto de investigador convidado (visiting reseacher), com acesso pleno a todos os recursos humanos e físicos do Centro de Computação Avançada da Universidade de Texas em Austin, incluindo aulas, participação em produção de sistemas, entre outros, para além de terem a oportunidade de ganhar experiência em áreas emergentes de plataformas de computação científica.

“A capacidade de extrair valor de grandes conjuntos de dados em tempo útil é hoje, e cada vez mais doravante, crucial em praticamente todas as áreas científicas e de atividade económica. A parceria com o TACC permite-nos acelerar a formação dos nossos investigadores, tanto em ICT como em domínios de aplicação, tirando partido de um centro que é uma das referências mundiais”, explica Rui Oliveira, diretor da área de Computação Avançada do Programa UT Austin Portugal, docente da Universidade do Minho e administrador do INESC TEC.

Financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), o Programa UT Austin Portugal foi uma das três parcerias internacionais que o Governo português renovou até 2030 com a Universidade de Austin, no Texas.

Mais informações sobre o programa e candidaturas aqui.