aérea (destaque)|Jardim Botânico do Porto

O projeto de requalificação incluiu a conversão da Casa Andresen em Galeria da Biodiversidade e da Casa Salabert em E-Learning Café da U.Porto. (Foto: DR)

O projeto de requalificação do Jardim Botânico do Porto – Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP) foi um dos dois vencedores na categoria “Parques e Jardins” dos International Architecture Awards 2019, a maior e mais antiga celebração pública anual da arquitetura à escala global.

Coordenada pela equipa de Nuno Valentim, arquiteto e professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), a intervenção no conjunto de obras que integram o Jardim Botânico do Porto arrancou em 2010 e teve a sua última fase em 2017 com a abertura da Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva na Casa Andresen. O projeto integrou igualmente a reabilitação da Casa Salabert para acolher o E-learning Café – Botânico (inaugurado em 2015), bem como o restauro das estufas concebidas por Franz Koepp nos anos 60 do século XX.

No total, a intervenção implicou a requalificação de uma área bruta de construção de cerca de 4 800 m2, numa área de jardim com 48 500 m2.

Da empreitada fez também parte a recuperação das estufas de Franz Koepp. (Foto: DR)

Para Nuno Valentim, coordenador do projeto, “a atribuição deste prémio a este conjunto de obras é-nos particularmente querida pois vem gratificar um enorme trabalho e esforço do conjunto de autores [Nuno Valentim, Frederico Eça, Maria Ana S. Coutinho, Margarida Carvalho], colaboradores e equipas projetistas envolvidas nos vários projetos”. O docente da FAUP elogia ainda o “envolvimento do Diretor do MHNC-UP, Nuno Ferrand de Almeida, e do atual Diretor do Jardim Botânico do Porto, Paulo Farinha Marques, que, no âmbito da componente de espaços exteriores colaborou também como projetista”.

Recorde-se que o projeto de requalificação do Jardim Botânico do Porto já tinha sido nomeado para o conceituado European Union Prize for Contemporary Architecture – Mies van der Rohe Award 2019. Já  a obra de reabilitação da Casa Salabert, recebeu uma menção honrosa no Prémio João de Almada 2017 e conquistou o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2016.

A cerimónia de entrega dos International Architecture Awards  2019 terá lugar no próximo dia 13 de setembro, em Atenas, Grécia, e os projetos vencedores figurarão num catálogo – “Global Design + Urbanism XIX (“New International Architecture”) –, editado por Christian Narkiewicz-Laine e publicado pela Metropolitan Arts Press Ltd..

Sobre o prémio

Fundados em 2005, em resultado de uma iniciativa conjunta do The Chicago Athenaeum: Museum of Architecture and Design e do European Centre for Architecture Art Design and Urban Studies, os International Architecture Awards constituem a maior e mais antiga celebração pública anual da arquitetura à escala global, afirmando-se como o único programa de prémios públicos sem finalidades comerciais.

A edição deste ano premiou 350 projetos de 41 países, após uma avaliação que teve em conta critérios como a visão, inovação e originalidade, acessibilidade, sustentabilidade, sensação de conforto e usabilidade, adequação à finalidade e nível de satisfação dos clientes. Para além da equipa de Nuno Valentim, a lista de premiados inclui os também gabinetes portugueses PMC Arquitectos e Plano Humano Arquitectos.