Música servida com Sociologia na U.Porto

O músico Tiago Guillul vai participar na conferência inaugural, sobre música e religião. (Foto: DR)

De um lado vão estar nomes de referência na investigação em Sociologia na Universidade do Porto, como Augusto Santos Silva, Helena Vilaça e Paula Guerra. Do outro, figuras ligadas à música e à cultura em Portugal, casos do escritor e crítico literário Pedro Mexia, da escritora Ana Luísa Amaral e dos músicos Tiago Guillul, Paulo Barros e Samuel Ùria. Do encontro entre os dois universos far-se-á “MORE THAN LOUD! Os mundos dentro de cada som”, um evento que chega ao Porto nos dias 27 de novembro e 5 de dezembro, numa iniciativa do Instituto de Sociologia da Faculdade de Letras da U.Porto (IS/FLUP).

Orientado para a “reflexão sociológica sobre os sons e os barulhos próprios do campo musical e suas identidades e vinculações sociais”, o programa do evento vai centrar-se em duas conferências abertas ao público, a ter lugar no Anfiteatro Nobre da FLUP. Será uma oportunidade para debater e encontrar pontos de ligação entre a música e a sociedade, sob a perspetiva da Sociologia, bem como para partilhar as experiências pessoais dos vários intervenientes.

Na primeira conferência, agendada para esta terça-feira, 27 de novembro, a música e a religião vão cruzar-se, a partir das 17h30, num debate intitulado “Novas fronteiras de sentido e de pertença”. Os protagonistas serão Pedro Mexia (poeta e crítico literário), Helena Vilaça (professora da FLUP e investigadora do IS/FLUP), José Madureira Pinto (professor da FEP / Faculdade de Economia da U.Porto e investigador no IS/FLUP) e o músico Tiago Guillul, fundador do colectivo de artistas FlorCaveira e membro de várias bandas de pop rock cristão.

Já no dia 5 de dezembro, “ O peso do rock, derivas de transgressão artística” é o tema escolhido para uma sessão onde se vai debater a ligação da música às reivindicações políticas e movimentos sociais, à luz das expressões mais extremas do punk rock e do metal. A conferência tem início às 18h30 e conta com a participação de Ana Luísa Amaral (escritora e professora da FLUP), Augusto Santos Silva (professor da FEP e investigador do IS/FLUP), Paula Guerra (socióloga e investigadora do IS/FLUP) e Paulo Barros, músico, compositor e fundador dos Tarântula, banda seminal de heavy metal português.

Paralelamente às conferências que vão decorrer na FLUP, e como forma de “abrir a sociologia à sociedade, à cidade e à comunidade”, vai decorrer um ciclo de concertos e show cases. No dia 27, a partir das 21h30, a Igreja Metodista do Mirante recebe um show case / concerto de Tiago Guillul e Samuel Úria. A 5 de dezembro cabe aos portuenses Eskizofrénicos e Blackjackers assinalar o encerramento do evento com dois concertos, a partir das 22h30, no Music Hole @Music Hole (Rua da Constituição 656 Loja 19). A entrada é livre.

Mais informações aqui.