Mostra da U.Porto 2019 levou 20 mil pessoas ao centro da cidade

A expectativa era grande para perceber como seria a estreia da Mostra da Universidade do Porto em plena baixa da cidade. E a verdade é que os números não defraudaram. De 4 a 7 de abril, quase 20 mil pessoas – entre os quais 9 mil alunos e cerca de 550 professores de mais de uma centena escolas – passaram pela tenda gigante montada no Largo Amor de Perdição, junto ao Jardim da Cordoaria, fazendo desta uma das maiores edições de sempre do evento que todos os anos dá a conhecer aos jovens e ao público em geral o que de melhor se faz na instituição portuense.

Em visita à Mostra no dia da abertura, o Reitor da U.Porto, António de Sousa Pereira, definia o evento como “um momento grande de convívio entre a universidade e os seus futuros membros”,  apontando como meta da organização um número a rondar os 15 mil visitantes. A verdade é que, apesar das condições adversas do clima, a Mostra 2019 excedeu todas as expetativas e representou um crescimento de cerca de 5 mil pessoas, relativamente à edição do ano passado.

Entre quinta e sexta-feira, a esmagadora maioria dos visitantes foram alunos do Ensino Básico e Secundário, na sua maioria oriundos do distrito do Porto, mas também de zonas mais distantes das regiões Norte e Centro do país. Nesses dois primeiros dias, chegaram ao Porto futuros estudantes universitários de concelhos como Ponte da Barca, Chaves, Castelo Branco, Fundão ou Aguiar da Beira. No Serviço de Relações Internacionais foram também recebidos vários estrangeiros, entre os quais docentes de outras universidades, provenientes, por exemplo, do Brasil, de França ou dos EUA.

Durante os quatro dias da Mostra, quem por lá passou teve à sua disposição mais de uma centena de atividades interativas, preparadas pelas diferentes faculdades, centros de investigação e serviços da U.Porto. Nas longas filas de bancas dispostas no recinto, os visitantes puderam escolher entre aulas de desenho em arquitetura, workshops de pintura, jogos de raciocínio matemático, exercícios interativos com robots, testes de cultura geral, modelos veterinários para auscultação cardíaca ou palpação transretal, atividades sobre biodiversidade, observações ao microscópio, “consulta”s de medicina dentária, ou até simulações de partos e de um julgamento .

Outro aspeto essencial do programa foram as seis sessões de esclarecimento promovidas por técnicos da Direção Geral do Ensino Superior (DGES), realizadas no Salão Nobre da Reitoria, a maioria das quais com  lotação esgotada. Também os Serviços de Ação Social da U.Porto (SASUP), responsáveis pelo apoio social aos estudantes, prestaram esclarecimentos aos estudantes e às famílias sobre bolsas de estudo, alojamento, alimentação, integração académica e apoio médico.