Mestrado em Educação Académica e Clínica é exemplo de cooperação na U.Porto

A formação é coordenada pela FMUP e conta com o apoio de outras sete instituições de ensino (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

Contribuir para o desenvolvimento de competências pedagógicas. Promover a partilha de experiências entre profissionais da área da educação. Incentivar a aquisição de competências complementares às da formação de base. Estes são alguns objetivos do Mestrado em Educação Académica e Clínica, uma formação pioneira em Portugal que nasce de uma colaboração de oito instituições de ensino. Destacando-se como a única formação pedagógica conferente de grau académico, o curso destina-se a profissionais que desempenham funções de docência – académica ou não – e que procuram manter-se atualizados nas abordagens e técnicas existentes.

“O facto de integrar várias unidades orgânicas da Universidade do Porto e ainda a Escola Superior de Enfermagem do IPP abre a todos aqueles que querem “aprender a ensinar” um enorme leque de oportunidades no que diz respeito à multidisciplinaridade de experiências”, explica Laura Ribeiro, diretora do mestrado. “Criámos este curso porque sentíamos uma enorme lacuna nas formações dirigidas a pessoas que desempenham funções na área do ensino, especialmente na saúde.” acrescenta.

“Acredito que o treino formal tem um papel importante na persecução de determinada carreira. Após concluir o primeiro ano do mestrado, confirmo a utilidade de aprender os princípios e conceitos subjacentes aos principais paradigmas pedagógicos, que me permitirão não só melhorar a minha performance como educador, mas, também, iniciar um processo de aprendizagem e investigação continuada em ensino.”, explica Francisco Gonçalves, médico interno do Centro Hospitalar São João. “O maior ponto positivo da formação é a equipa docente. Não só pela vasta experiência profissional na área da educação, mas também pela alta motivação para a construção de um ensino superior de qualidade em todas as suas vertentes.”, refere.

Além-fronteiras, em Angola, Manize Cutessama conquistou uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian que lhe permitiu integrar o mestrado em Educação Académica e Clínica. O licenciado em análises clínicas explica que, já trabalhando como professor, sentiu a necessidade de adquirir competências pedagógicas que pudessem consolidar o seu conhecimento. “De forma geral, tem sido uma grande experiência e existe um enorme espírito de irmandade entre os colegas, o que potenciou a troca de experiências.”, remata.

Recorde-se que o mestrado em Educação Académica e Clínica é coordenado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e conta com o apoio das faculdades de Ciências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP), Desporto (FADEUP), Farmácia (FFUP), Medicina Dentária (FMDUP), Psicologia e Ciências da Educação (FPCEUP), o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e, ainda, da escola Superior de Enfermagem do Porto.

As inscrições para a segunda edição do curso decorrem até 18 de julho.

Mais informações aqui.