iUP25k: U.Porto premeia tecnologia que cria avatares “a la minute”

FaceDecode iUP25k

O FaceDecode pretende que qualquer pessoa possa criar avatares de forma simples, barata e divertida. (Foto: TVU.)

Já imaginou ser a personagem de um jogo de computador ou de um filme de animação? Num futuro não muito longínquo, tudo isso pode estar à distância de alguns minutos através da FaceDecode – We make faces, uma aplicação desenvolvida por investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e vencedora do primeiro prémio da edição 2015 do iUP25k, o Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto.

Permitir que qualquer pessoa possa criar avatares de forma mais simples, barata e divertida é o grande objetivo da ideia distinguida com um prémio de 15 mil euros patrocinado pelo banco Santander. Na prática, o utilizador terá a possibilidade de gerar a sua versão virtual em cerca de duas horas ou menos (estima-se que no futuro este tempo baixe para cerca de 15 minutos) e aplica-la em conteúdos digitais, filmes, videojogos, ambientes de realidade virtual, ou performances ao vivo.

Atualmente, o processo de criação de avatares pode cursos vários milhões de euros e envolve uma equipa de vários especialistas. Em alternativa, a FaceDecode propõe uma solução mais económica e que cobre toda a linha de produção. “Como a nossa captura usa hardware comum garantimos versatilidade de utilização em qualquer lugar, por qualquer pessoa. Oferecemos ao mercado global do entretenimento e comunicação uma solução que acelera em 99% a criação de avatares, comparativamente com tecnologias tradicionais, o que leva a uma redução de custos”, explica a equipa vencedora, composta por Verónica Orvalho, Catarina Miranda, Pedro Mendes e César Ferreira.

No segundo lugar da edição 2015 do iUP25k, correspondente a um prémio de 5 mil euros, ficou o projeto ‘Howlless – Acoustic Feedback supressor’, assente numa tecnologia capaz de eliminar o fenómeno de ‘feedback’ acústico (apito ou microfonia) que ocorre em sistemas de som como aqueles que são usados nas próteses auditivas. Suportada no trabalho desenvolvido por Bruno Bispo, Diamantino Freitas e Paulo Faria no âmbito do Programa Doutoral em Engenharia Electrotécnica e de Computadores da Faculdade de Engenharia da U.Porto, esta tecnologia pode também ser incorporada, por meio de software ou por um equipamento autónomo, em sistemas de reforço sonoro ou de teleconferência. O primeiro prototipo deverá estar pronto em outubro deste ano, estimando-se que a comercialização avance em 2016.

LyoCandy Fruit iUP25kNo terceiro lugar, e também premiado com 5 mil euros, ficou a LyoCandy Fruit, um projeto que aposta na produção de gomas a partir de fruta natural através do processo de liofilização. “A nossa vantagem competitiva será precisamente trazer um produto nutriocionalmente mais rico de uma forma mais apelativa, prática e divertida para o cliente”, explicam Pedro Fonte, José Neves e Bruno Sarmento, investigadores do Instituto de Engenharia Biomédica da U.Porto (INEB).

A Sessão Oficial do iUP25K decorreu no dia 29 de maio, nas instalações da Porto Business School. Para além dos três prémios principais, a edição deste ano distinguiu ainda o projeto Surf Training All in One (uma aplicação para surfistas) com o “Prémio do Público”. Na categoria “Best Social Business”, a vitória coube ao projeto “Produção agroalimentar sustentável nos estabelecimentos prisionais de portugal”, que consiste na introdução de hortas comunitárias nas prisões. A FaceDecode levou também para casa o Prémio BEST TIC by Microsoft. As apresentações dos 10 projetos finalistas podem ser consultadas aqui.

Recorde-se que o iUP25k é uma iniciativa lançada em 2010 pela U.Porto, através do seu Clube de Empreendedorismo (CEdUP) e da Universidade do Porto Inovação (UPIN), com o objetivo principal de distinguir iniciativas empreendedoras e promover o aparecimento de projetos empresariais que se revelem inéditos na comunidade, por parte de estudantes ou antigos estudantes da U.Porto. Ao fim de seis edições, é já um dos mais importantes galardões nacionais ao nível do incentivo ao empreendedorismo no contexto do Ensino Superior.