Helder Novais-Bastos, investigador do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S), professor da Faculdade de Medicina da UPorto (FMUP) e pneumologista no Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), acaba de ser distinguido com a Bolsa D. Manuel de Mello, no valor de 50 mil euros, pelo trabalho na área das doenças pulmonares que vem desenvolvendo no âmbito do projeto FIBRA-Lung.

Esta é a segunda vez que Helder Novais-Bastos conquista esta bolsa, sendo que a primeira ocorreu em 2013 e permitiu-lhe avançar com o doutoramento na área da tuberculose no grupo de investigação do i3S «Immune Regulation», liderado por Margarida Saraiva.

“Através da atribuição desta Bolsa ao meu projeto «FIBRA-Lung- Interações hospedeiro-microbioma na busca por biomarcadores de doenças pulmonares intersticiais fibrosantes que regem a aceleração», a Fundação Amélia de Mello volta a estar associada ao meu desenvolvimento científico, desta vez trilhando o meu percurso como Investigador Principal (PI) numa nova linha de investigação da FMUP e do próprio i3S”, sublinha o investigador.

O projeto agora premiado, sublinha Helder Novais-Bastos, “centra-se nas necessidades do doente e acompanha a minha missão como médico de ajudar os portadores de doenças pulmonares difusas fibrosantes (fibrose pulmonar) a obterem maior benefício do tratamento que lhes é oferecido, melhorando os resultados clínicos de um grupo heterogéneo de doenças pouco compreendidas e que se associam a elevada morbi-mortalidade”.

Melhorar o tratamento da fibrose pulmonar

O FIBRA-Lung, explica o pneumologista, é um “projeto transinstitucional, que reúne uma vasta equipa de médicos, biólogos, bioinformáticos e imunologistas do CHUSJ, i3S e FMUP visando a promoção da excelência clínica e de investigação nas doenças pulmonares fibrosantes progressivas no nosso país”.

O primeiro passo para melhorar o conhecimento destas doenças “foi dado com estabelecimento do primeiro registro e biobanco português de doentes com fibrose pulmonar, que permitirá estudar a frequência relativa destas doenças na região e explorar os determinantes moleculares dos diferentes desfechos clínicos. Os participantes no estudo serão seguidos e monitorizados ao longo dos primeiros anos após o diagnóstico, e a evolução da doença será integrada com os seus perfis genéticos, transcripcionais (expressão génica) e composição de microorganismos que residem no trato respiratório (microbioma pulmonar)”.

Os resultados desta investigação, garante o investigador, “abrirão caminho para a descoberta de novos biomarcadores que possam refletir a evolução crónica progressiva, e que suportem novas opções individualizadas de tratamento para a fibrose pulmonar, cada vez mais eficazes, personalizadas e seguras”.

O médico-investigador

A Bolsa D. Manuel de Mello representa para Helder Novais-Basto “um reconhecimento” por parte de um painel de avaliadores, que inclui membros dos conselhos científicos de todas as escolas médicas portuguesas e permite, sublinha, “que me aproxime da figura do médico-investigador, que transporta os seus anseios clínicos para a bancada do laboratório, e estabelece pontes entre a investigação fundamental e o progresso da medicina clínica, algo que tem vindo a ser designado por investigação translacional”.

Esta distinção, acrescenta, “representa uma oportunidade para «profissionalizar» a Ciência feita por médicos, porque sentimos enormes dificuldades em conciliar a elevada carga horária de trabalho clínico, com as horas necessárias para fazer investigação de excelência. Espero que este seja mais um passo para conseguir gradualmente reduzir a minha atividade assistencial e dedicar 20% da minha jornada semanal de trabalho à atividade científica e académica”.

A Bolsa D. Manuel de Mello é uma bolsa de investigação anual, instituída em 2007 pela Fundação Amélia de Mello em parceria com a José de Mello Saúde e a CUF, que se destina a premiar jovens médicos que desenvolvam projetos de investigação clínica, no âmbito das unidades de investigação e desenvolvimento das Faculdades de Medicina portuguesas.

A cerimónia de entrega da bolsa teve lugar esta quarta-feira no Auditório do Hospital CUF Porto, com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Sales, e o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães.