Investigação da U.Porto premiada na área do cancro

Lucília Saraiva (ao centro) lidera a equipa de investigação envolvida no projeto ACTONP53. (Foto: DR)

Os projetos ACTONP53, MAMMO3D e HOPE, todos eles liderados por investigadores da Universidade do Porto e focados na área do cancro, foram distinguidos, no passado dia 16 de maio, com o prémio MED.IDEAS 2019 (categoria “Cancro”), destinado às ideias mais inovadoras na área da tecnologia médica.

Desenvolvido por uma equipa de investigação liderada por Lucília Saraiva, professora da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (FFUP) e investigadora do LAQV/REQUIMTE, o “ACTONP53” propõe novas alternativas farmacológicas no tratamento do cancro, a partir da ativação de uma proteína – a p53 – capaz de reparar o ADN das células e, com isto, parar o crescimento de células danificadas. Contudo, e apesar de existirem em todos os humanos, estas proteínas estão, em muitos casos, inativas, o que pode comprometer a nossa capacidade de supressão de tumores.

“Os fármacos que desenvolvemos são capazes de repor as funções da proteína p53, permitindo a regressão de certos tipos de cancro, provocando a morte celular ou impedindo o desenvolvimento de células danificadas”, explica Lucília Saraiva. Para já, a equipa está a testar, com “resultados promissores”, os reativadores da proteína em células cancerígenas humanas e em modelos animais.

Inês Moreira,  investigadora do CINTESIS e líder da equipa MAMMO3D. (Foto: CINTESIS)

A edição deste ano premiou também Inês Moreira,  investigadora do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e estudante de doutoramento da Faculdade de Medicina da U.Porto (FMUP) que está a desenvolver uma ferramenta – a MAMMO3D – capaz de, a partir de uma mamografia, estabelecer a localização tridimensional de lesões mamárias, com um baixo grau de incerteza, melhorando deste modo o planeamento das intervenções de remoção das lesões. O objetivo passa por melhorar a qualidade de vida das mulheres sujeitas a cirurgia mamária, assim como diminuir os custos associados a esta intervenção.

Já o videojogo HOPE é um projeto na área da Oncologia Pediátrica que, recorrendo à realidade virtual, gamificação e exergaming, tem como objetivo diminuir o sedentarismo e a ansiedade em crianças internadas, aumentando a resposta aos tratamentos. Esta tecnologia é ainda complementada com uma aplicação móvel para pais e cuidadores, que procura orientá-los no processo de acompanhamento da doença da criança. O projeto conta com o apoio da Universidade do Porto, do U.Porto Media Innovation Labs, do IPO do Porto e da associação Acreditar.

No valor de 5 mil euros, o Prémio MED.IDEAS é promovido pelo NORTEXCEL, cujo objetivo é instalar na região Norte de Portugal um centro de excelência de investigação e inovação em tecnologias e dispositivos médicos.

A entrega dos prémio MED.IDEAS 2019 decorreu no dia 16 de maio, no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, no âmbito do “MED.IDEAS 2019 Event: Research, Development and Innovation in devices & medical technology.