Galeria da Biodiversidade teve 30 mil visitantes em apenas seis meses

O Presidente da República foi o primeiro visitante da Galeria da Biodiversidade, ao inaugurar este novo Centro de Ciência Viva a 30 de junho de 2017, um dia antes do espaço abrir oficialmente ao público.

Em apenas seis meses de existência, a Galeria da Biodiversidade – Centro de Ciência Viva registou já cerca de 30 mil visitantes.

Foi a 1 de julho de 2017 que a Casa Andersen do Jardim Botânico do Porto abriu as portas como o primeiro polo do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto. A ocasião foi solenemente assinalada pelo próprio Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, que no dia anterior presidiu à inauguração oficial do mais recente museu da cidade do Porto.

A casa que foi palco das brincadeiras de criança dos escritores Ruben A. e Sophia de Mello Breyner, ainda hoje conhecida pelo nome da família Andresen, é agora um espaço museológico onde a arte se cruza com a biologia e a história natural para celebrar a diversidade da vida.

O mais recente museu da cidade do Porto é constituído por perto de 50 módulos interativos, destinados a todas as idades, que contam a história da vida e da biodiversidade na Terra.

A Galeria da Biodiversidade convida a uma viagem pela vida através de um conjunto de 49 módulos expositivos e instalações, muitos dos quais desenvolvidos ou adaptados especificamente para o local, com funcionalidades e características inovadoras que vão desde modelos mecânicos até às mais sofisticadas plataformas multimédia e audiovisuais.

Seis meses depois da sua inauguração, cerca de 30 mil pessoas tiveram já a oportunidade de percorrer esta viagem pela vida e pela biodiversidade do nosso planeta. Números que, de acordo com declarações à Agência Lusa do diretor do Museu de História Natural e da Ciência da U.Porto, Nuno Ferrand, coloca o projeto como “um enorme sucesso”.

Contudo, o também Professor Catedrático da Faculdade de Ciências acredita que o número de visitantes da Galeria da Biodiversidade – Centro de Ciência Viva poderá aumentar exponencialmente a curto prazo: “Com uma campanha mais sistematizada e com a divulgação deste espaço junto das escolas, com certeza iremos ter mais visitantes”.

A Galeria da Biodiversidade – Centro de Ciência Viva está aberta ao público de terça a domingo, das 10h00 às 18h00. O preço do bilhete normal é de 5 euros, havendo lugar a descontos para estudantes, jovens e membros da comunidade académica da U.Porto.

Atualmente, a Galeria da Biodiversidade acolhe também a exposição fotográfica Photo Ark, um projeto da National Geographic que pretende retratar todas as espécies animais do mundo.

Até 29 de abril, para além da sua coleção permanente, a Galeria acolhe ainda aquela que é considerada “a maior arca fotográfica do mundo”, a Photo Ark da National Geographic. Fazendo no Porto a sua estreia europeia, a exposição é uma seleção de imagens, infografias e vídeos produzidas pelo fotógrafo Joel Sartore que, através deste projeto, já fotografou mais de 7.000 espécies animais para completar esta “Arca de Noé” dos tempos modernos.