FLUP inaugura ano letivo com lição de Ana Luísa Amaral

Aposentada da docência, Ana Luísa Amaral é investigadora e membro da Direção do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa da FLUP. (Foto: DR)

A Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) promove na próxima terça-feira, dia 16 de outubro, a tradicional Sessão Solene de Abertura do Ano Letivo, evento que serve para assinalar aquele que é um dos acontecimentos mais importantes no ciclo académico.

O ponto alto da sessão vai ser a lição de sapiência proferida pela escritora Ana Luísa Amaral, professora aposentada da FLUP, investigadora e membro da direção do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (ILCML/FLUP), que fará uma intervenção subordinada ao tema O reason not the need! Da poesia, outras moradas e saberes”.

Nesta sessão serão também homenageados os membros da comunidade académica que se aposentaram, os docentes que realizaram com sucesso as suas provas de agregação e todos aqueles que obtiveram o grau de Doutor.

Com entrada livre, a sessão tem início às 17h00, no anfiteatro nobre da FLUP.

Sobre Ana Luísa Amaral

Ana Luísa Amaral é licenciada em Germânicas e doutorada em Literatura Norte-Americana pela FLUP, faculdade onde desenvolveu atividade docente nos domínios de Literatura e Cultura Inglesa e Americana. Atualmente aposentada, é membro da Direção do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, no âmbito do qual dirige o grupo internacional de pesquisa Intersexualidades.

A nível literário, é autora de mais de três dezenas de livros de poesia, teatro, ficção e literatura infantil, estando ainda representada em diversas antologias portuguesas e estrangeiras. Os seus livros estão publicados em países como Inglaterra, Brasil, França, Espanha, Suécia, Itália, Holanda, Colômbia, Venezuela, México e, brevemente, nos Estados Unidos da América

Entre as distinções que recebeu pela sua produção literária incluem-se o Prémio Literário Casino da Póvoa, em 2007, o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (APE), em 2008, o Prémio Rómulo de Carvalho/António Gedeão, em 2012, e já este ano, o Premio Internazionale Fondazione Roma: Ritratti di Poesia.Mais recentemente, foi distinguida com o Prémio de Ensaio Jacinto do Prado Coelho 2018, atribuído pelo Associação Portuguesa dos Críticos Literários (APCL).