FASTinov dá o salto para o UPTEC

Cidália Pina-Vaz, CEO da FASTinov.

A FASTinov, spin-off do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, vai mudar-se de malas e bagagens para as instalações do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, inaugurando uma nova e promissora fase de crescimento e expansão para o mercado internacional.

Financiada em 2,6 milhões de euros pela Comissão Europeia, a FASTinov desenvolveu uma tecnologia disruptiva, já patenteada, para a realização de testes de suscetibilidade antimicrobiana (Flow Cytometry Antimicrobial Susceptibility Test), estando agora em condições de avançar para a validação do protótipo e para a produção a uma escala industrial.

Cidália Pina-Vaz, CEO da FASTinov, considera que a passagem da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) para o UPTEC é um “passo fundamental” para o crescimento  da empresa, permitindo afirmar a sua independência e projetar uma nova imagem para o exterior, incluindo os seus potenciais clientes em todo o mundo.

A mudança de instalações já se iniciou e deverá estar concluída no início de novembro. Seis investigadores da FASTinov estarão em full time no novo espaço do UPTEC, que foi devidamente adaptado para o efeito. Alguns investigadores mantêm atividade de investigação no Serviço de Microbiologia da FMUP.

De acordo com a responsável e Investigadora Principal do Grupo de Investigação MicroMed – Medical Microbiology, do CINTESIS, a integração no UPTEC é essencial para que os inventores da tecnologia da FASTinov deixem de ser vistos apenas como académicos e passem a ser vistos como alguém que pretende colocar um produto inovador no mercado.

Além disso, a deslocação para o UPTEC vai também permitir a aquisição de alguns equipamentos de grande porte necessários para iniciar a produção dos “kits” all-in-one, seguindo as recomendações estabelecidas pelo protocolo europeu EUCAST (no qual Cidália Pina-Vaz representa o nosso país) e pelo protocolo americano CLSI.

Espera-se que os novos testes de suscetibilidade, sendo mais rápidos, simples e fiáveis, constituam um marco importante no combate às infeções bacterianas e ao grave problema das resistências aos antibióticos no contexto dos cuidados de saúde. Em apenas uma hora, será possível perceber se uma determinada bactéria é sensível ou resistente a um determinado fármaco, apoiando uma decisão clínica mais segura e eficaz. O produto deverá chegar ao mercado para comercialização em 2019.

Entretanto, a FASTinov está já a desenvolver novas linhas de investigação promissoras na área da saúde, com destaque para novos testes de suscetibilidade a fungos e a outros microrganismos de crescimento difícil.

A spin-off da U.Porto está também “com um pé” na Medicina Veterinária e continua fortemente apostada em inovar no ramo da Medicina personalizada com uma tecnologia inovadora de doseamento de antibióticos no sangue dos doentes, em especial doentes graves e idosos, o que permitirá reajustar e adequar as doses caso a caso e evitar concentrações subterapêuticas, responsáveis por toxicidade e por resistências.