Estudantes da FEUP em destaque no MIT

Estudantes da FEUP ficaram entre os 4.6% de participantes que obtiveram um diploma

Cinco estudantes da FEUP participaram, entre março e junho, num curso online promovido pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), e concluíram-no com nota A, pontuação máxima correspondente a 20 valores. Bernardo Cardoso, Diogo Correia, Francisco Torres, João Carlos Martins e Vinícius Ginja são estudantes do 3º ano do Mestrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da FEUP e finalizaram “com sucesso” a formação, estando entre os 4,6 % dos participantes que obtiveram um diploma.

Promovido pelo MITx e pela edX, em parceria com a Universidade de Harvard, o curso 6002 Circuits and Electronics contou com cerca de 155 mil inscrições, registando uma forte participação de estudantes norte-americanos e indianos. No entanto, apenas 7157 receberam um certificado de final de curso.

Conhecimentos básicos de eletricidade, magnetismo, cálculo, álgebra linear e equações diferenciais foram alguns dos pré-requisitos do curso, que teve enfoque nos princípios da Engenharia Eletrotécnica, como circuitos e eletrónica. Durante 14 semanas, os estudantes tiveram a oportunidade de aceder a tutoriais e a vídeos interativos e, para concluir a formação, foi necessária a realização de trabalhos de casa, atividades no âmbito de laboratórios virtuais e a aprovação em dois exames.

“O curso foi extremamente importante uma vez que o método de ensino é completamente diferente do utilizado na FEUP e serviu de comparação com a unidade curricular de Eletrónica 1 que decorreu em simultâneo”, revelaram os estudantes da FEUP.

Os estudantes destacam a diferença de abordagens, notada especialmente nos trabalhos laboratoriais, onde eram incentivados a pensar por eles próprios e a projetar circuitos para descrever determinadas funções. “Enquanto na unidade curricular portuguesa o ensino se foca muito mais na aplicação direta dos conhecimentos adquiridos nas aulas, no curso do MITx as aulas forneceram ferramentas básicas para a resolução de problemas, sendo pedido aos estudantes que procurassem informação extra que lhes permitisse resolver os problemas propostos”, afirmaram.

Bernardo Cardoso, Diogo Correia, Francisco Torres, João Carlos Martins e Vinícius Ginja