Estudante da U.Porto vence Idea Challenge Portugal 2019

O projeto AQUAFLOWS contempla um modelo de aquário com ilha flutuante e um conjunto de atividades de sensibilização ambiental destinadas aos mais jovens. (Foto: DR)

João Carecho, estudante do Mestrado em Recursos Biológicos Aquáticos da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), a desenvolver a sua investigação no Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da U.Porto (CIIMAR-UP), é o vencedor do concurso Idea Challenge Portugal 2019, uma iniciativa da Green European Foundation que teve como objetivo distinguir as melhores ideias de jovens europeus (dos 16 aos 24 anos ), capazes de promover comunidades mais abertas, recetivas, democráticas e inclusivas.

O projeto premiado chama-se AQUAFLOWS (AQUArium with FLOating Wetland in School) e pretende consciencializar os mais jovens para questões ambientais ligadas aos ecossistemas de água doce e ao modo como estes são afetados pelas mudanças climáticas. P

Para o efeito, o projeto – desenvolvido no seio da equipa Bioremediation and Ecosystems Functioning (ECOBIOTEC) do CIIMAR – integra um pequeno modelo para uso escolar que inclui um aquário associado a uma ilha flutuante inoculada com plantas capazes de fazer fitorremediação.

O aquário inclui por sua vez vários componentes, todos eles com grande valor funcional e estético. As folhas verdes das plantas na ilha flutuante “dão vida” e servem como elemento decorativo. Mas as suas raízes, mergulhadas na água funcionam como filtros biológicos altamente eficazes na purificação da água servindo ainda como berçários ou refúgios para os peixes que se escondem entre os seus filamentos. Também os troncos e as rochas servem como ótimos refúgios para os peixes mais adultos, complementando todo o habitat. O filtro externo assegura a circulação de água e garante o seu bom arejamento e os peixes, por sua vez, fornecem os nutrientes necessários para absorção nas raízes das plantas. As espécies utilizadas foram a panjorca (Achondrostoma arcasii) e a carpa comum (Cyprinus carpio) que vieram do Aquamuseu do Rio Minho.

O sistema foi posto em prática com alunos da Escola Básica Augusto Gil, no Porto. (Foto: DR)

“Acredito que o projeto contribua largamente para a perceção que os mais jovens têm sobre o meio ambiente e o seu papel na preservação do mesmo, mostrando também que existem soluções baseadas na natureza que nos podem ajudar”, explica João Carecho.

O investigador de 23 anos, que é também licenciado em Ciências do Meio Aquático pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), enfatiza ainda o papel do modelo para a educação ambiental nas escolas: “Será interessante ver como o aquário com a ilha servirá de ferramenta multidisciplinar de apoio aos professores.”

O sistema foi posto em prática na Escola Básica Augusto Gil nos dias 5 de junho, Dia Mundial do Ambiente, e 6 de junho, numa comemoração antecipada do Dia Mundial dos Oceanos (8 de junho).

De forma a potenciar o projeto, foram realizadas, em paralelo, diversas ações de sensibilização para os alunos sobre questões ambientais Estas ações contaram com a colaboração de João Carecho que abordou os peixes dos ecossistemas fluviais portugueses sensibilizando para as espécies nativas, exóticas e invasoras dos rios portugueses, e também da investigadora do CIIMAR Cristina Calheiros, que abordou o tema das alterações climáticas e o poder das plantas para tratar a água.