Souto de Moura premiado pela Academia Americana de Artes e Letras

Eduardo Souto de Moura venceu o Prémio Arnold W. Brunner de 2019, da Academia Americana de Artes e Letras, pela sua “contribuição significativa para a arquitectura” (Foto: Clara Pimenta do Vale).

O arquiteto Eduardo Souto de Moura, professor catedrático convidado da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), é o vencedor do Prémio Arnold W. Brunner de 2019, da Academia Americana de Artes e Letras, pela sua “contribuição significativa para a arquitectura”.

A partir de 33 candidatos, o arquiteto português foi distinguido pela “qualidade intemporal e profundamente humanista” da sua obra, detentora de um “[sentimento] de inevitabilidade” e marcada por um “distinto sentido de materialidade”, conforme referiu no anúncio do Prémio a arquiteta Annabelle Selldorf, presidente do júri, composto por Henry N. Cobb, Kenneth Frampton, Steven Holl, Thom Mayne, Laurie Olin, James Polshek, Billie Tsien, e Tod Williams.

Entre as obras de Eduardo Souto de Moura destacadas pela Academia Americana de Artes e Letras contam-se o Estádio Municipal de Braga (2003), a Torre Burgo, no Porto (2007), e a Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais (2009). Recorde-se que o arquiteto português já recebeu diversos prémios e distinções, entre as quais o Prémio Pritzker 2011, a mais alta distinção da profissão de arquitecto, o Prémio Wolf de Artes da Fundação Wolf, em 2013, o Prémio Pessoa, em 1998, e mais recentemente, em 2018, ganhou Leão de Ouro na Bienal de Veneza pela obra de recuperação da herdade de São Lourenço do Barrocal.

A Casa das Histórias Paula Rego é um projeto do arquiteto Eduardo Souto de Moura e retoma, num espírito contemporâneo, alguns aspetos da arquitetura da região © Fernando Guerra

O Prémio Arnold W. Brunner foi instituído em 1955 e destina-se a distinguir arquitectos, de qualquer nacionalidade, que “tenham dado uma contribuição significativa à arquitectura como arte”. Para além do Prémio atribuído a Eduardo Souto de Moura, a Academia Americana de Artes e Letras atribuiu o Prémio Artes e Letras em Arquitectura aos aqruitectos Hernan Diaz Alonso, director do Instituto de Arquitetura do Sul da Califórnia (Sci-Arc), Mario Gooden e Mabel O. Wilson, co-directores do Global Africa Lab na Escola de Arquitectura da Universidade Columbia, Eric Höweler Meejin Yoon, do atelier de arquitectura Höweler + Yoon, e Anne Rieselbach, directora do programa Architectural League of New York.

Os prémios vão ser entregues durante a cerimónia anual da Academia a realizar-se em Nova Iorque, em Maio de 2019. Entre os arquitectos já distinguidos, pela Academia Americana de Artes e Letras contam-se Phyllis Lambert, Sheila O’Donnell e John Tuomey, Alberto Campo Baeza, Kathryn Gustafson e Diébédo Francis Kéré.

Mais informações em artsandletters.org.