O Cubo e bronze, da autoria do escultor José Rodrigues, foi colocado em 1983, no centro da Praça da Ribeira do Porto. (Foto: DR)

Quando lá foi colocado, houve quem o considerasse uma ofensa para a dignidade da cidade, quem sugerisse que fosse pintado ou que fosse pura e simplesmente retirado. Hoje, volvidos 35 anos, perguntamos: como seria a Ribeira sem o Cubo de José Rodrigues?

No próximo dia 17 de julho, a pergunta servirá de pano de fundo para uma conversa sobre arte pública, a decorrer no Auditório da Casa Comum, na Reitoria da Universidade do Porto. Em debate estará o papel o papel que aquela cumpre nos processos de regeneração urbana, a sua potencialidade educativa, a sua capacidade para tornar os espaços socialmente mais ativos e lúdicos o os modelos de interação que suscita.

A conversa contará com a participação de Ágata Rodrigues, filha do escultor José Rodrigues, Laura Castro, especialista em arte pública, e José Alberto Rio Fernandes, professor catedrático do Departamento de Geografia da Faculdade de Letras da U.Porto (FLUP) e especialista em geografia urbana. A moderação ficará a cargo de Fátima Vieira, Vice-Reitora para a Cultura da U.Porto.

A sessão tem início marcado para as 18h00. A entrada é livre.

Mais informações aqui, ou através do e-mail cultura@reit.up.pt.