Coral de Letras da U.Porto festeja a Primavera no Coliseu do Porto

O maestro José Luís Borges Coelho dirige o Concerto da Primavera, no Coliseu Porto.

Celebrar a Primavera ao som da música é o desafio lançado pelo Coliseu Porto. No dia 21 de abril, pelas 21h30, sobem a palco o Coral de Letras da Universidade do Porto (CLUP) e a Orquestra Metropolitana de Lisboa para o Concerto de Primavera. A dirigir o concerto estará a batuta do Maestro José Luís Borges Coelho – fundador do CLUP e Doutor Honoris Causa da U.Porto com direção musical de Pedro Amaral e piano da solista Inês Costa, graduada pelo Royal College of Music.

É com uma composição de Mozart que começa o espetáculo no Coliseu Porto. O Concerto para Piano N.º21 em Dó Maior, KV 467 foi popularizado nas telas de cinema no século XVIII, destacando-se no filme Elvira Madigan, realizado pelo sueco Bo Widerberg em 1967. No espetáculo, os espectadores terão também oportunidade de ouvir a Sinfonia para a Divina Comédia de Dante, S. 109. Franz Liszt, autor da obra, deixou-se guiar pela fascinante Commedia de Dante Alighieri e compôs, em 1855, esta sinfonia.  São ilustrações musicais de um turbilhão de sensações inspiradas numa ideia de Inferno, nas sonoridades cristalinas do Purgatório e da ascensão ao brilho das estrelas, o sublime estado de ânimo evocativo do Paraíso nas vozes de um coro feminino que entoa um cântico a Virgem Maria.

O Concerto de Primavera tem os bilhetes à venda, disponíveis aqui.  Todos os estudantes da Universidade do Porto têm 10 por cento de desconto.

Ainda durante o mês de abril, o Coral de Letras da Universidade do Porto junta-se às comemorações oficiais do Dia da Liberdade (25 de Abril). As celebrações do 44.º aniversário da Revolução dos Cravos no Porto têm início na véspera, a partir das 22h00 de 24 de abril, na Avenida dos Aliados. Será aí que o CLUP vai interpretar, numa das maiores artérias da cidade, o emblemático tema “Grândola, Vila Morena”. A entrada é livre.

Sobre o Coral de Letras

Dirigido desde a sua fundação pelo maestro José Luís Borges Coelho, o CLUP é um coro amador com 46 anos de atividade e premiado em vários festivais nacionais e internacionais: mais recentemente, obteve medalhas de ouro e prata no Festival Coral Internacional, em Lisboa.

A última gravação do CLUP, “Uma antologia (im)possível”, com orquestrações de Fernando Lopes Graça de canções tradicionais portuguesas, editada no quadro das comemorações do centenário da U.Porto, é representante da centralidade da obra de Lopes Graça no reportório do CLUP. A este, juntam-se muitos outros compositores portugueses que têm merecido a preferência do Coral, como Eurico Carrapatoso (ele próprio antigo membro do CLUP) ou Pedro do Porto. Mas obras de Mozart, Haydn, Schoenberg, Bach, Prokofiev e Beethoven são também frequentes nas atuações do grupo.