Cátedra em Medicina da Dor apoia investigadores portugueses

A iniciativa resulta da parceria entre a FMUP e a Fundação Grünenthal

A Cátedra em Medicina da Dor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), uma iniciativa pioneira em Portugal, vai financiar três estudos de investigação básica e clínica com a quantia de 47 mil euros. “Pretendemos com este financiamento apoiar a excelente investigação no domínio da dor que já se realiza no nosso país e promover o aparecimento de novas ideias e novos projetos”, explica José Castro Lopes, investigador responsável pela Cátedra e professor nessa instituição de Ensino Superior.

Os estudos estão a ser realizados por investigadores portugueses, e os primeiros resultados foram apresentados no Fórum Futuro no passado dia 21 de setembro em Oeiras.

No âmbito da investigação clínica, a Cátedra está a apoiar um estudo observacional sobre as complicações neurológicas do cancro da mama, no qual é dado particular relevo à incidência, características e tratamento da dor neuropática nas doentes mastectomizadas. Este estudo, a cargo da investigadora Susana Pereira, está a ser realizado no Instituto Português de Oncologia do Porto.

Também neste âmbito, terá início ainda este ano um outro estudo observacional sobre a etiologia e caraterísticas da dor em doentes tratados nas Unidades de Dor Crónica do Grande Porto, sob a responsabilidade de Luís Azevedo, da FMUP.

No campo da investigação básica, a Cátedra vai apoiar um projeto de investigação já em curso, relacionado com a depressão e ansiedade associadas à dor crónica. O estudo, liderado pela investigadora da FMUP Fani Neto, tem a colaboração da equipa de Juan Micó, diretor da Cátedra de Dor da Universidade de Cádiz.

A Cátedra em Medicina da Dor resulta da uma parceria entre a FMUP e a Fundação Grünenthal, destinada a apoiar a investigação e a formação nesta área do conhecimento médico.