Catarina Marques: a futura engenheira industrial que também quer gerir empresas

Catarina Hora Marques está a terminar o Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial (foto: D.R.)

Chama-se Catarina Hora Marques, é finalista do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e é um dos cinco finalistas daquele que é já considerado o maior prémio de gestão do país: o Primus Interpares.

Promovida pelo jornal Expresso e pelo banco Santander Totta, a iniciativa pretende descobrir futuros líderes de empresas no meio universitário. Em jogo está um MBA com propinas pagas numa escola de negócios nacional ou internacional.

No caso de Catarina, esta aventura começou precisamente na FEUP, com um email que recebeu a alertar da abertura das candidaturas ao concurso. “Como um MBA se trata de um prémio extraordinário não podia deixar de me candidatar”, refere a estudante.

O processo de seleção dos finalistas foi bastante prolongado e envolveu várias etapas. Para se habilitar ao tão desejado MBA, Catarina começou por preencher um formulário simples e por enviar o CV, mas seguiram-se fases mais complexas que envolveram testes de lógica, matemática e de memória, tanto online como presenciais. A fase seguinte consistiu numa experiência de imersão, onde foram avaliadas as competências de criatividade, trabalho em equipa e liderança. Houve também lugar a uma entrevista com uma agência de recrutamento e a entrega de um relatório com uma auto descrição e caracterização e com uma fundamentação sobra a motivação de cada um para ganhar o prémio.

Finalmente, todos os finalistas reuniram com os elementos do júri – composto por Francisco Pinto Balsemão, António Vieira Monteiro, Estela Barbot, Raquel Seabra e Miguel Poiares Maduro – que vão então escolher os três vencedores.

Em todas as fases Catarina deu o seu melhor. Afinal, “o MBA é a fusão perfeita para completar o meu currículo como Engenheira com uma vertente mais de gestão. Teria a oportunidade de desenvolver as minhas capacidades de liderança, comunicação, persuasão, gestão de pessoas e criatividade – todas competências essenciais para as aspirações profissionais que eu tenho de me tornar numa líder de sucesso” reforça. A estagiar na Farfetch no âmbito da sua tese de mestrado, Catarina conseguiu já ‘negociar’ um contrato de trabalho no mesmo local, com início em setembro.

Desde sempre envolvida em vários projetos em simultâneo, Catarina continua ligada à European Students of Industrial Engineering and Management (ESTIEM) na organização de eventos a nível internacional, pratica boxe e faz ginástica artística desde os quatro anos, modalidade em que também é juíza. Como conciliar tudo isto? “É uma questão de disciplina! O facto de ter um tempo tão preenchido só fez com que conseguisse aumentar a minha capacidade de trabalho e fazer uma melhor gestão do tempo. Ter as prioridades bem definidas e saber manter a cabeça fria em momentos de alto stress também ajudam a manter uma produtividade alta”.

O anúncio dos vencedores e a entrega dos prémios Primus Inter Pares vai decorrer no próximo dia 2 de julho, numa cerimónia a decorrer no Hotel Ritz, em Lisboa.

Mais informações sobre o prémio disponíveis aqui.