Future Scenarios explora o tema das alterações climáticas e o papel que a sua narrativa pode desempenhar no futuro da humanidade. (Foto: DR)

A Casa Comum – situada no edifício da Reitoria – da Universidade do Porto vai acolher, a partir do próximo dia 16 de maio, a exposição de fotografia Future Scenarios, de Teo Ormond-Skeaping e Lena Dobrowolska, integrada na primeira edição da Ci.CLO Bienal Fotografia do Porto.

Future Scenarios nasce do diálogo que os dois artistas mantiveram, durante mais de um ano, com alguns dos mais eminentes cientistas em matéria de alterações climática. Esse contacto prévio permitiu “constatar que a narrativa de vulnerabilidade que em tempos envolvia as nações mais vulneráveis às alterações climáticas tornou-se numa narrativa de resiliência e adaptação”. O resultado é uma exposição que “pretende revelar de que modo esta história abre um diálogo sobre um futuro ainda por determinar”.

Exposição resulta de um périplo realizado por Lena Dobrowolska e Teo Ormond-Skeaping pelo Laos, Bangladesh, Nepal, Reino Unido e Uganda. (Foto: DR)

Em paralelo com a exposição, Teo Ormond-Skeaping e Lena Dobrowolska vão passar pela Casa Comum no dia 18 de maio, a partir das 16h00, para uma conversa aberta ao público sobre o seu trabalho.

Com entrada livre, Future Scenarios estará patente ao público até 2 de julho e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 18h00.

Mais informações aqui, ou através do e-mail cultura@reit.up.pt.

Sobre a Ci.CLO Bienal’19 de Fotografia do Porto

A Ci.CLO Bienal Fotografia do Porto apresenta-se como uma plataforma de criação, debate e reflexão; um Ci.CLO que celebra a prática artística e se renova a cada dois anos. A Ci.CLO desenvolve um trabalho contínuo de pesquisa e experimentação em colaboração com artistas, que a partir da fotografia e da sua relação transdisciplinar com outros campos artísticos, coloquem em questão as suas próprias metodologias e proponham narrativas, tanto utópicas como distópicas, motivadas por mudanças culturais e ambientais.

A maioria dos trabalhos apresentados na Bienal são resultado das várias residências e laboratórios de pesquisas realizados no âmbito deste programa. Os projetos de criação e exposição desenvolvidos pela Ci.CLO apoiam abordagens inovadoras de representação visual que contribuam para uma maior consciencialização crítica sobre as vulnerabilidades ecológicas e sociais que enfrentamos.

Mais informações aqui.

Sobre a Casa Comum

Inaugurada no passado dia 3 de abril, no primeiro piso da Reitoria da U.Porto, a Casa Comum apresenta-se como um espaço diferenciador na oferta cultural da cidade. “Equipada” com um auditório, duas salas de exposições e uma sala de videoarte, a Casa oferece uma programação regular e diversificada de eventos – concertos, performances, exposições, mesas redondas, aulas abertas, workshops, sessões de cinema, entre outros – através da qual se pretende dar especial visibilidade aos trabalhos dos estudantes e docentes da U.Porto, mas também a outros talentos e figuras consagradas.

Para promover a programação da Casa Comum, a U.Porto disponibiliza uma app – a “Acontece na U.Porto” – que permite acompanhar, em tempo real, todas as atividades culturais, desportivas e científicas a realizar na Reitoria, bem como nas diferentes faculdades, centros de investigação e núcleos museológicos da Universidade.