(Notícia atualizada às 15h30 do dia 6 de março de 2020: Tendo em consideração as últimas orientações da U.Porto, que desaconselham a realização de eventos públicos nas suas instalações, este evento fica adiado para uma data posterior e a ser anunciada com a brevidade possível)

Ele viveu entre 1769 e 1859 e, para além de ter sido um dos mais famosos cientistas do seu tempo, é conhecido como o explorador que deu o nome a mais espécies da natureza. Ela é uma multipremiada autora britânica e uma “habitué” na lista de best-sellers do New York Times. Falamos de Alexander von Humboldt e de Andrea Wulf, os dois “protagonistas” da palestra ilustrada que vai decorrer no próximo dia 27 de março, na Galeria da Biodiversidade – Centro de Ciência Viva, do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP).

Tendo como mote “As aventuras de Alexander von Humboldt, o herói esquecido da ciência”, esta palestra convida o público a percorrer o incrível trajeto do “por vezes esquecido pai do ambientalismo” e responsável pelo lançamento das bases de ciências como a GeografiaGeologiaClimatologia ou a Oceanografia. Para o efeito, Andrea Wulf (ver perfil abaixo) fará uso de de desenhos, gravuras, mapas e manuscritos de Humboldt, bem como das coloridas e exuberantes páginas de A Invenção da Natureza – As Aventuras de Alexander von Humboldt, o livro que valeu à autora o reconhecimento a nível mundial.

Na verdade, a vida de Humboldt foi repleta de aventuras e descobertas, seja por ter explorando profundamente a floresta tropical ou por ter escalando os mais altos vulcões do mundo. Intrépido explorador, mas também um cientista minucioso, transformou a observação científica em narrativas poéticas, e aquilo que escreveu serviu de inspiração a naturalistas e poetas como Darwin e Goethe, bem como a políticos como Jefferson e Bolivar.

Um homem à frente do seu tempo, Humboldt foi um dos primeiros a explicar a natureza como uma complexa rede de vida e uma força global interconectadas – uma noção que ainda hoje influencia a forma como pensamos. Pelo meio, descreveu a Terra como um organismo vivo, facilmente passível de destruição pela humanidade, e, já em 1800, previu mudanças climáticas prejudiciais induzidas pela ação humana.

Humboldt tornou-se mundialmente conhecido pelas viagens exploratórios que fez pela América Latina e pela Ásia Central. (Foto: DR)

Organizada pelo MHNC-UP, em colaboração com o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO) da U.Porto, a palestra tem início às 18h00 e será proferida em inglês.

A entrada é gratuita, mediante inscrição prévia através do e-mail galeria@mhnc.up.pt.

Sobre Andrea Wulf

Nascida em Nova Deli (Índia) em 1972, Andrea Wulf é uma escritora e historiadora britânica que escreveu para jornais como o LA Times, The Wall Street Journal, ou o New York Times. Autora de seis livros aclamados, ganhou notoriedade internacional com A Invenção da Natureza (2016), com o qual conquistou mais de uma dúzia de prémios internacionais, incluindo o Royal Society Science Book Prize 2016, o prestigiado Costa Biography Award 2015 (Reino Unido), e o LA Times Book Prize 2016 (EUA).

Publicada em 26 idiomas, a obra – que percorre as aventuras do explorador, geógrafo e naturalista Alexander von Humboldt –  já vendeu mais de 700.000 cópias em todo o mundo, permanecendo ainda hoje no “top” de livros mais vendidos em países como a Alemanha, França, ou Itália.

Presença regular na rádio e na televisão, Andrea Wulf é ainda membro do PEN American Center, do The Explorer’s Club, da Royal Society of Literature e da Royal Geographic Society.