Será um concerto onde não vão faltar ouvir obras consagradas, numa conjugação invulgar que talvez dê lugar a novas descobertas. Aos comandos de Lorenzo del Conte, este será um recital de inspiração francesa e checa. O espetáculo acontece dia 19 de junho, quarta-feira, às 19h00, na Casa Comum (à Reitoria) da U.Porto.

Contrariamente aos “excessos emocionais” da era romântica, o impressionismo abre caminho para a ideia de sugestão e atmosfera. Isto porque a noite presta homenagem a Claude Debussy e embora o próprio tenha rejeitado a designação, Debussy é considerado o primeiro músico e compositor impressionista.

Lorenzo del Conte especializou-se em música francesa do séc. XIX e XX, e este seu recital organiza-se de forma particular. Há três peças que compõem a sequência Images Oubliées, de Debussy, e que antecedem uma seleção de peças do ciclo Num Caminho Coberto de Vegetação, do checo Leoš Janáček, regressando depois a Debussy, com quatro Prelúdios do 1.º livro e três Estudos. Encerra com Improvisações de Francis Poulenc.

Janáček e Debussy são da mesma geração e, se o primeiro prossegue um caminho inspirado – entre outras influências – pela música tradicional da Europa de Leste, Debussy transformou-se, com Ravel, num dos símbolos do impressionismo musical. Poulenc é um compositor da geração posterior à de Debussy e Janáček, e relacionou-se em particular com Erik Satie, mas também com Ravel, embora as suas composições escapem do quadro impressionista

O concerto tem entrada livre, ainda que sujeita à lotação da sala.

Sobre Lorenzo del Conte

Tendo iniciados os estudos musicais aos seis anos de idade, Lorenzo del Conte frequentou as aulas de Performance e Interpretação em Piano e Flauta no Liceu Musical “Dante”, em Florença. Foi admitido no Conservatório Estatal de Música “Pietro Mascagni”, em Livorno. Especializou-se em repertório francês, mais especificamente nas obras de compositores como Claude Debussy, Francis Poulenc e Camille Saint-Saëns. A sua tese de mestrado, intitulada Plus de sympathie que de direct enthousiasme, centrou-se na investigação e análise das primeiras apresentações do Concerto para Piano (1949) de Poulenc.

Recebeu diversos prémios em concursos musicais e tocou em concertos em salas prestigiadas, tais como a Sala Luca Giordano do Palácio Medici-Riccardi, a Casa-Museu Martelli, o Palácio Pitti, a Villa Montalvo, o Oratório de San Sebastiano de’ Bini, ou o Teatro da Residência Il Bobolino. Durante o conservatório, teve a oportunidade de se apresentar a solo em recitais na prestigiada Villa Rospigliosi, em Lamporecchio, e, como convidado, no auditório do Liceu “Dante”, em Florença.

Atualmente, no quadro de um projeto Erasmus+, continua os seus estudos em Portugal, na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (Politécnico do Porto), sob a orientação do pianista e professor Constantin Sandu.