Violência doméstica em discussão na FPCEUP

Cerca de 500 participantes, entre os quais investigadores, académicos, estudantes, profissionais e decisores políticos, vão passar, de 6 a 9 de setembro, pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP), para participar na II Conferência Europeia de Violência Doméstica (European Conference on Domestic Violence).

Resultado de uma colaboração entre a FPCEUP, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, e a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, esta conferência tem como grande objetivo articular investigação e intervenção em temas tão diversos como a violência doméstica nas relações de intimidade, contra idosos, contra crianças, contra grupos LGBTI, contra minorias étnicas, violência sexual, prevenção da violência doméstica, ou tráfico de seres humanos. Tudo isto através da “troca de conhecimentos, boas práticas e metodologias que melhor contribuam para a proteção das vítimas e a erradicação da violência doméstica e de género”.

Ao longo dos três dias do evento, os participantes terão assim a oportunidade de partilhar trabalhos e resultados científicos que ajudem à construção de políticas sociais e legais sobre a violência doméstica e de género. Depois do sucesso da primeira edição, espera-se ainda “promover o networking entre profissionais e especialistas nesta área e desenvolver redes de investigação e de boas práticas, métodos e ferramentas para a prevenção e o combate da violência doméstica”.

Segundo os últimos dados avançados pelo Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), registaram-se em Portugal, em 2016, cerca de 27 mil participações relacionadas com violência doméstica. “A nível europeu existe um consenso social e político sobre a necessidade de combater e prevenir esta forma de violência, expresso pela Convenção de Istambul, ratificada por Portugal”, lembra a organização do evento.