Universidades do Porto unem-se para aproximar sociedade e medicina

Iniciativa pretende contribuir para responder ao desafio de implementação de cuidados de saúde centrados na Pessoa. (Foto: DR)

Num momento em que a relação médico-doente pode vir a alcançar o estatuto de património imaterial da humanidade, a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), o Instituto de Bioética da Católica Porto (IB-UCP) e a Universidade Fernando Pessoa (UFP) juntam esforços para promover em Portugal a Medicina Narrativa. Esta abordagem assenta em três pilares (Relação, Interdisciplinariedade e (Re)visão crítica de conceitos, práticas e atitudes) e distingue-se por”promover cuidados centrados na pessoa e não apenas na doença”.

O Grupo de Estudos e Reflexão em Medicina Narrativa (GERMEN) – que conta com o  Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) /  Instituto de Investigação e Inovação (i3S) como entidade parceira – será coordenado por Susana Magalhães (IB-UCP/UFP) e por Paula Silva (FMUP/Ipatimup/i3S) e pretende contribuir para dar resposta ao atual desafio de implementação de cuidados de saúde centrados na Pessoa.

“Trata-se de uma mudança de perspetiva, de atitudes e de práticas que permitem melhorar a comunicação entre: doentes, familiares e profissionais de saúde e, finalmente, entre doentes e suas famílias. Em última instância, o projeto pretende, ainda, desenvolver capacidades narrativas que terão impacto positivo no funcionamento das equipas de saúde”, sublinham as coordenadoras deste grupo.

A apresentação pública do GERMEN está agendada para 28 de fevereiro, quarta-feira, às 18h00, no auditório da ANJE (Associação Nacional dos Jovens Empresários).

Com entrada livre (sujeita a inscrição através do e-mail germednarrativa@gmail.com), a sessão contará com intervenções de Susana Magalhães e Paula Silva, tendo como oradores convidados Manuel Sobrinho Simões, professor catedrático jubilado da U. Porto, diretor do Ipatimup e vice-diretor i3S, e Maria Giulia Marini – epidemiologista, membro da Sociedade Italiana de Medicina Narrativa e autora do livro “Narrative Medicine: Bridging the Gap between Evidence-Based Care and Medical Humanities”, editado pela Springer em 2016.

Após este momento inaugural, o projeto vai prosseguir com um conjunto de formações e seminários em cuidados de saúde, através dos quais se pretende disseminar a medicina narrativa entre os profissionais de saúde, mas também de doentes e familiares, gestores de instituições de saúde, decisores políticos e a toda a população interessada neste tema. O primeiro seminário está agendado para 20 de abril e contará com a participação de oradores nacionais e internacionais.

Mais informações aqui.