Universidade Júnior 2013 despede-se até setembro

Como sempre, o Reitor da U.Porto marcou presença no arranque oficial da Universidade Júnior.

Depois de quatro semanas de atividade intensa nas salas de aula e laboratórios da Universidade do Porto, a Universidade Júnior 2013 partiu de férias no passado dia 26 de julho.

Nesta que é uma das mais maiores edições de sempre do maior programa de iniciação ao ambiente universitário do país, mais de 5000  jovens entre os 11 e os 17 anos puderam (e vão ainda) usufruir de 151 (número recorde na história do programa) atividades preparadas pelas várias escolas e centros de investigação da U.Porto. Desta lista fizeram parte experiências em laboratório, investigações no terreno, caças ao tesouro, atividades desportivas, aprendizagem de línguas como o latim ou o japonês, entre muitas outras atividades  destinadas aos variados gostos e interesses.

Da edição deste ano, merece destaque a afirmação das “oficinas Temáticas” – atividade destinada a estudantes do 7.º e 8.º anos lançada em 2012 – no topo das preferências dos participantes da UJr.  Ao todo foram 410 os jovens que puderam “pôr as mãos” no conhecimento da U.Porto de forma prática e divertida. Os restantes participantes dividiram-se pelos programas “Experimenta no Verão” – 5.º e 6.º anos (1292), “Oficinas de Verão” – 7.º e 8.º (1221), “Verão em projeto” – 9.º ao 11.º (1844) e “Escola de Línguas” – 5.º ao 11.º ano (214)

Edição deste ano contou com um número recorde de 151 atividades preparadas pelas escolas e centros de investigação da U.Porto.

Entre os jovens que percorreram os espaços da U.Porto nas últimas semanas, merecem uma nota especial os 860 jovens originários de zonas mais longínquas do país, bem como dezenas de estudantes provenientes de países tão distintos como o Brasil e a Ucrânia, Angola e Moçambique, ou Bélgica e França. Para eles, a Universidade do Porto, em parceria com a Escola Prática de Transmissões, reservou um programa de alojamento e atividades suplementares que lhes permitiu viver comunitariamente num quartel.

De resto, a UJR voltou a contar com a mobilização “em massa” da comunidade académica da U.Porto, Aos 350 monitores “captados” no seio a Universidade, juntou-se o apoio de dezenas de investigadores, docentes e estudantes que não quiseram deixar de se associar à organização e desenvolvimento das diferentes atividades.

Terminadas as atividades de julho, a UJr 2013 terá agora um segundo momento nas primeiras duas semanas de setembro, altura em que abrem as portas das Escolas de Ciências da Vida e da Saúde, Escola de Verão de Matemática e Escola de Verão de Física. Estes programas estão especialmente vocacionados para a introdução à investigação científica e estão reservados a cerca de 150 dos melhores alunos do ensino secundário: a participação é dependente de candidatura, e a seleção é efetuada de acordo com o desempenho escolar dos candidatos.

Recorde-se que a Universidade Júnior resulta de um esforço conjunto dos diferentes organismos da U.Porto, mas também de um grupo de parceiros estratégicos fundamentais. Entre eles contam-se a Casa da Música, a Escola Superior de Enfermagem do Porto, a ESMAE/IPP, o Visionarium, o Parque Biológico de Gaia, o Centro de Ciência Viva de Vila do Conde, o CICCOPN, a Escola Prática de Transmissões e mais de 30 câmaras municipais.

A edição 2013 da Universidade Júnior fica ainda marcada pela candidatura bem-sucedida do programa à obtenção de financiamento no quadro do operação NORTE-07-0125-FEDER-00004. Ao todo, a Universidade do Porto vai receber 332 mil euros, valor que permitirá cobrir cerca de metade dos custos das várias edições da UJr realizadas entre 2008 e 2013.