Universidade do Porto recorda Sophia de Mello Breyner Andresen

Sophia de Mello Breyner Andresen - busto

Vida e obra de Sophia será revisitada num dos espaços marcantes da infância da poetisa.

Basta ter um livro de Sophia de Mello Breyner Andresen e vontade de descobrir alguns dos locais que inspiraram a obra da poetisa. São esses os pressupostos para parcipar no conjunto de eventos que a Universidade do Porto, através do Jardim Botânico do Porto, preparou para assinalar esta quarta-feira, dia 2 de julho, a passagem dos 10 anos sobre o desaparecimento de Sophia.

A iniciativa arranca às 10h00 com um Encontro de Leitores de Sophia. Durante duas horas (até às 12h00), os admiradores da poetisa serão convidados convidados a trazer os seus livros e a partilhar leituras e conversas durante uma visita ao Jardim.

Paralelamente, a U.Porto organiza, entre as 10h00 e as 16h00, um ciclo de seis visitas (uma por hora) ao Jardim de Sophia. A participação é livre (limitada a 20 participantes por visita), mas sujeita a marcação presencial 15 minutos antes da hora da visita pretendida.

Outrora propriedade dos avós de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004), o espaço ocupado hoje pelo Jardim Botânico do Porto (antiga Quinta do Campo Alegre) foi palco de boa parte da  infância da escritora no início dos anos 20 do século XX. Esta será por isso uma oportunidade para, quase um século depois, recordar um espaço emblemático na vida de Sophia, que nele se inspirou para escrever muitos dos seus contos e poemas.

Recorde-se que o espaço do Jardim Botânico encontra-se em obras de melhoramentos, pelo que a circulação estará condicionada.