Universidade do Porto comemora 50 anos da chegada do Homem à Lua

Desembarque na Lua durante a missão Apollo 11. (Foto: DR)

“Um pequeno passo para o Homem, um grande salto para a humanidade”. As palavras foram eternizadas pelo astronauta norte-americano Neil Armstrong quando pisou pela primeira vez o solo lunar, a 20 de julho de 1969, e cinco décadas anos depois, voltarão a ser ouvidas na Universidade do Porto, no âmbito de várias iniciativas que vão celebrar os 50 anos da Chegada do Homem à Lua.

A “viagem” arranca já no dia 20 de julho, no Salão Nobre da Reitoria, às 21h00, precisamente 50 anos após a primeira alunagem, com a primeira de um conjunto de sete conferências – organizadas pelo Planetário do Porto – Centro de Ciência Viva, em parceria com o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) (IA) e a Casa Comum da U.Porto – que vão desafiar os participantes a reviver as várias missões tripuladas à lua.

Na primeira “missão”, Rui Moura, professor da Faculdade de Ciências da U.Porto (FCUP) e um dos primeiros portugueses escolhidos para frequentar o curso de qualificação do projeto POSSUM, vai juntar-se ao geógrafo Álvaro Domingues e a Daniel Folha, diretor executivo do Planetário do Porto, para uma conversa sobre exploração espacial, o programa Apollo e, particularmente, a missão Apollo 11. A receber os participantes estará ainda um modelo tridimensional da Lua (com 2,8 metros de diâmetro), que será suspenso na entrada principal do edifício da Reitoria.

O ciclo, cujas datas vão coincidir com as das sete missões Apollo realizadas entre 1969 e 1972, prossegue a 20 de novembro, com uma sessão dedicada à missão Apollo 12, protagonizada por Charles “Pete” Conrad e Alan Bean (e Richard Gordon em órbita lunar) a 19 de novembro de 1969. Seguem-se mais cinco sessões, onde serão recordadas as missões Apollo 13 (11 de abril de 1970), Apollo 14 (9 de fevereiro de 1971 ), Apollo 15 (30 de julho de 1971), Apollo 16 (21 de abril de 1972 ) e Apollo 17 (11 de dezembro de 1972). A entrada é livre.

Exposição na Faculdade de Ciências

Imagem oficial da exposição da FCUP integra uma ilustração de Victor Mesquita, um dos mais importantes criadores de banda desenhada de Portugal.

Ainda no âmbito das comemorações da primeira alunagem, a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) organiza, a partir de 22 de julho, a exposição “50 anos da Chegada do Homem à Lua”. A iniciativa, que terá lugar na Biblioteca da FCUP, pretende levar os visitantes a viajar até aos anos 60, revisitando também os tempos em que a ida à lua ainda era ficção científica.

Para isso, explica Rui Moura, docente da FCUP, investigador do Instituto de Ciências da Terra e um dos organizadores desta iniciativa, “a exposição estará dividida em várias partes, desde livros de ficção científica, passando pela literatura de divulgação científica à Banda Desenhada e pelos relatórios técnicos e peças autênticas de hardware espacial”.

Do livro do Tintin que evoca a chegada do Homem ao satélite natural da terra até à sétima arte, o certame conta também com uma série de objetos espaciais. Trata-se de uma coleção de materiais que, em grande parte, pertencem ao espólio pessoal do docente da FCUP, que foi o primeiro português a fazer formação e treino para astronauta.

Por ter contactos privados e institucionais através de pessoas que conheceu no meio aeroespacial nos últimos três anos, foi assim adquirindo materiais que classifica como “bastante raros”. São exemplos “uma folha de um manual de sistema de fato espacial e a qual foi propriedade do próprio Neil Armstrong, uma manta térmica suplente original de Módulo de Comando ou algumas pequenas peças de motores J-2 do lançador Saturno V”.

A exposição terá em exibição livros, filmes, objetos espaciais e memorabilias sobre a chegada do Homem à lua. (Foto: NASA)

Para além destes objetos, há uma outra parte da exposição composta por memorabilias (conjuntos de coisas memoráveis). “Serão apresentados selos, moedas, medalhas, cadernetas dos anos 60, mapa da lua de 1958, e outros objetos relacionados com a ida do Homem à lua”, conta Orlando Frazão, docente do Departamento de Física e Astronomia da FCUP e investigador do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), que se juntou a Rui Moura na organização deste certame.

Com entrada livre, a exposição será inaugurada no próximo dia 22 de julho, segunda-feira, pelas 18h00, e contará com a presença da Diretora da FCUP, Ana Cristina Freire, da Subdiretora da FCUP e Diretora da Biblioteca, Conceição Santos e da Vice-Reitora para a Cultura, U.Porto Edições e Museus da U.Porto, Fátima Vieira.

Patente ao público até ao final de novembro do próximo ano, pode ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 09h00 e as 19h30. A entrada é livre.

Com vista para a Lua

Composição de fotos de um eclipse parcial da Lua. (Crédito: NASA/Bill Ingalls)

Entretanto, e já nesta terça-feira, dia 16 de julho a partir das 21h00, o Planetário do Porto – Centro Ciência Viva e o IA organizam uma sessão de observação com telescópio para ver um Eclipse Parcial da Lua, no Centro de Educação Ambiental da Quinta do Covelo. A observação, inserida no programa Ciência Viva no Verão em Rede, será acompanhada por especialistas do IA.

Ainda no âmbito das celebrações da chegada da Humanidade à Lua, o IA e o Museu da Presidência da República (MPR) promovem, no dia 20 de julho, uma “noite de luar nos jardins do Palácio de Belém“, com atividades para toda a família.

A sessão arranca às 21h30, no Jardim dos Teixos, com uma sessão especial do Ignite IAstro, onde vários investigadores da IA, da FCUP e da FCUL irão promover as suas investigações em apresentações de apenas 5 minutos cada, ao ritmo de uma sequência automática de 20 imagens que vão sendo projetadas.