Universidade do Porto acolhe congresso internacional da EurSAFE

alimentação / salEm 2016, o congresso internacional da Sociedade Europeia para Ética na Agricultura e na Alimentação (EurSAFE) terá lugar na Universidade do Porto. “Futuros da alimentação” será o tema da 13.ª edição deste encontro que chega ao Porto em resultado  de uma parceria entre o i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúe e a Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).

O congresso tem início a 28 de setembro e, durante quatro dias, será o palco privilegiado para se discutirem questões éticas em torno da comida, incluindo a produção de alimentos, o consumo, o marketing, a política, a saúde e suas representações literárias, artísticas e culturais. Outro tema em destaque será a exploração de cenários futuros e a exploração de alternativas no âmbito da alimentação e das práticas agropecuárias.

A comida é o centro da existência humana – comemos todos os dias, não apenas para satisfazer as necessidades fisiológicas, mas também como parte da cultura e da interação social. As opções alimentares e os mercados que delas derivam estão moldar a paisagem agrícola e as cidades em que vivemos. Um número crescente de atores compete para influenciar os nossos hábitos alimentares, através de estratégias de marketing e aconselhamento nutricional. Qualquer uma das nossas opções alimentares está pois associada a um conjunto de considerações éticas que influenciam toda a cadeia, desde a produção ao consumo, bem como na gestão de desperdícios e na política económica que lhes está subjacente

Para Anna Olsson, uma das organizadoras do evento, “o ano em que se comemoram os 500 nos de Utopia, de Thomas More, é em si uma inspiração para o tema”. Na verdade, adianta, “as implicações do problema alimentar obrigam-nos a pensar numa sociedade inclusiva e crítica que leve as preocupações sobre a comida para além do presente, da mera resolução de questões atuais”, ou seja, “obriga-nos, enquanto sociedade, a imaginar alternativas futuras”. A busca de soluções inovadoras para o problema da alimentação exige, na visão dos organizadores do EurSAFE 2016, uma investigação multidisciplinar e um pensamento crítico coletivo.

Como explica Fátima Vieira, outra das organizadoras do evento, “o pensamento utópico é formado pela consciência de que as sociedades funcionam como sistemas”, e que se mudarmos um aspecto, todos os outros aspectos serão mudados também. Por outro lado, “o pensamento utópico obriga-nos a refletir sobre formas alternativas de organização, quer através da reciclagem de soluções do passado colocando-as num novo contexto, quer através da elaboração de novas abordagens à organização da sociedade”.

Este foi o desafio que levou profissionais de várias áreas – da biologia fundamental, do direito, da nutrição, e da literatura, entre outras – a abraçarem a ideia de organização do EuroSafe 2016 em Portugal. A variedade de temas propostos é, por isso, muito diversa e inclui a sustentabilidade e aspetos ambientais da produção de alimentos; o bem-estar animal; ética na política alimentar e nutricional; perspetivas críticas sobre a forma como os alimentos influenciam a experiência humana, a história, as migrações, a resistência e dinâmica social; os cenários utópicos; e as formas de combater o desperdício de alimentos.

O congresso ainda está recetivo a propostas até dia 5 de fevereiroMais informações aqui.

eursafe2016_cabecalho