Universidade celebra o Corpo no espaço com programa cultural

"Espaço, corpo e bem-estar"De 4 de outubro a 29 de novembro, o Edifício Histórico da Reitoria da Universidade do Porto e o Museu Nacional de Soares dos Reis (MNSR) vão ser palcos de um programa inédito de conferências, exposições, instalações e performances artísticas. A unir todos estes eventos estará o debate sobre o espaço, numa perspetiva de vivência de corpo, tema central do ciclo “Espaço, corpo e bem-estar”, coorganizado pela U.Porto e pelo MNSR.

“O Homem e o lugar fundem-se, identificam-se e não são mais um sem o outro. Será que o Homem não é mais do que uma extensão do espírito do lugar, do espaço e do tempo, do que o ditou e das circunstâncias que nesse espaço e nesse tempo o determinaram?” A questão é levantada por João Vilas Boas, comissário do evento. Da dança contemporânea à saúde, da pintura ao desporto, da anatomia à emoção, da segurança ocupacional ao exercício terapêutico, as interceções são transversais no manifesto do corpo e a sua circunstância.

O arranque do ciclo caberá ao Cardeal Patriarca de Lisboa. “Espaço, corpo e bem-estar: a proposta ecológica do Papa Francisco” é o tema que traz D. Manuel Clemente ao Salão Nobre do Edifício Histórico da Reitoria da U.Porto na noite de 4 de outubro. Tendo como anfitriões o Reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, e o Presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, a conferência terá início às 21h00.

“GreenMan” é a proposta que se segue. Trata-se de uma conferência dançada que fará o confronto do corpo com a paisagem e contará com a colaboração do Diretor o Teatro Municipal Rivoli / Campo Alegre, Tiago Guedes. A encerrar a noite, será inaugurada uma exposição de Pintura, Escultura, Fotografia, Cinema e Vídeo intitulada“Nós: diálogos através do corpo no espaço e no tempo”. Com curadoria do Diretor da Faculdade de Belas Artes da U.Porto (FBAUP), José Paiva, esta mostra ficará patente até 4 de novembro, na Sala de Exposições da Reitoria.

Ao Vereador do Urbanismo da Câmara Municipal do Porto, Manuel Correia Fernandes, ao Arquiteto e docente da Faculdade de Arquitectura da U.Porto (FAUP), Nuno Valentim, e à Provedora do Cidadão com Deficiência da Câmara Municipal do Porto, Lia Ferreira, caberá conjugar corpo e tempo no espaço social. O espaço do ser gregário, a sua urbe. O corpo, o espaço e o tempo no contexto de uma cidade será o tema forte para a noite de 25 de outubro que terminará com a intervenção da cantora lírica Brígida Silva.

Dia 8 de novembro, ainda no Edifício Histórico da Reitoria e sempre a partir das 21h00, Zélia Matos e José Maia, da Faculdade de Desporto da U.Porto (FADEUP), introduzem a questão do exercício físico (velocidade, potência, intensidade, volume, carga e recuperação), e Ovídio Costa, da Faculdade de Medicina da U.Porto (FMUP), acrescentará à equação outros fatores como a saúde e a doença. No fundo, e com moderação de António Marques, da FADEUP, vamos falar dos “Territórios do Corpo”. A terminar a noite, e com curadoria de Teresa Lacerda, da FADEUP, será inaugurada a exposição “O exercício e o corpo: dose e efeito”.

“Tuning” anátomo-funcional: Ainda seremos nós? Vivemos mais para viver melhor? A provocação será levantada no Museu Nacional de Soares dos Reis, dia 29 de novembro, às 21h00, pela Diretora da FMUP, Maria Amélia Duarte Ferreira. Terá ao seu lado Fernando Mendes Monteiro, da Faculdade de Engenharia da U.Porto, que irá falar sobre “O corpo velho e o velho corpo: hoje humano, amanhã biónico”; o Presidente da Associação Portuguesa de Bioética, Rui Nunes, que lançará para a discussão questões como a qualidade de vida (“Oferecemos anos à vida? E recebemos vida em cada ano?”); e Marinela Carvalho Freitas, da Faculdade de Letras da U.Porto, que irá abordar o tema da solidão. E assim se contextualiza o “Homem Biónico”, instalação que ficará disponível no átrio do Museu Nacional de Soares dos Reis.

Ainda da noite de 29 de novembro será inaugurada a exposição “O corpo humano: dentro, fora e de dentro para fora”, resultado de uma joint venture entre a U.Porto, o MNSR e a Fundação de Serralves. Com curadoria de António Sousa Pereira, Diretor do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), Amélia Ferraz, Dulce Madeira (FMUP) e Raquel Barbosa (Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da U.Porto), aquele que promete ser um dos pontos altos do ciclo irá apresentar quadros de Paula Rego e peças dos Museus de Anatomia da FMUP e do ICBAS.

Transversalmente, de 4 de outubro a 29 de novembro, a Universidade do Porto convida a atravessar o território do espaço no nosso tempo. Como refere João Vilas Boas, “o espaço que se faz lugar e razão; o espaço que se faz relação, socialização; o espaço que se faz exercitação, ascese, remédio, medalha, elevação e singularidade… no tempo; espaço que se sabe relativo, mas que é absolutamente determinante do Homem, da sua moral, da sua relação, do seu Eu”.

O programa completo do ciclo pode ser consultado aqui.