U.Porto tem novo doutoramento em Saúde Pública Global

henriquebarros_cisa

Henrique Barros, professor da FMUP e diretor do ISPUP, é o diretor do Programa Doutoral em Saúde Pública.

A Universidade do Porto tem, desde o passado dia 7 de outubro, mais um programa de doutoramento pioneiro em Portugal. O Programa Doutoral em Saúde Pública Global é organizado conjuntamente pela U.Porto e pela Universidade Nova de Lisboa, e assume como objetivo valorizar a importância social da área e melhorar as competências de investigação em saúde pública.

Suportado pela junção de forças das duas maiores universidades portuguesas e de diferentes áreas de estudo, o Programa Doutoral em Saúde Pública Global visa criar cientistas competentes nesta área. “O impulso foi criar um programa muito competitivo internacionalmente, com diferentes áreas de conhecimento que são indispensáveis para a saúde pública. Queremos formar cientistas competentes para ocupar importantes cargos”, explica Henrique Barros, diretor do Instituto de Saúde Pública da U.Porto (ISPUP) que assume também a direção do novo programa.

Para Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da U.Porto, “o Programa Doutoral em Saúde Pública Global é importante, não só para a comunidade académica e científica, como para os cidadãos em geral. A saúde pública interessa a toda a população, por se tratar de um conceito que engloba a organização de sistemas e serviços de saúde, o controlo da incidência de doenças, a produção de conhecimento médico-científico para proteção da comunidade e a promoção de estilos de vida saudáveis”.

Já o Reitor da Nova de Lisboa, António Rendas, destaca “um excelente programa que une duas importantes universidades” e deixa uma palavra para o futuro: “Desejo a todos os estudantes muito sucesso”.
O arranque oficial do Programa foi assinalado na Reitoria da Universidade do Porto, numa sessão [ver vídeo] que contou com a presença do Diretor Regional para África da Organização Mundial de Saúde, Luís Sambo. A epidemia de Ébola foi o tema de uma apresentação onde foram abordadas a história da doença, as formas de combate, a dificuldade social que o Ébola está a causar nos países mais infectados, entre outros assuntos.

Perante uma plateia em que se destacava também a diretora da Berlin School of Public Heatlh, Jacqueline Müller-Nordhom, o responsável da OMS aproveitou para congratular a iniciativa conjunta das duas maiores universidades portuguesas: “A U.Porto e a Nova de Lisboa estão de parabéns pela iniciativa de criar um programa de saúde pública desta natureza”, realçou.

Para mais informações, aceder ao site do Programa Doutoral em Saúde Pública Global.