U.Porto reforça liderança na inovação

A inovação criada na Universidade do Porto em 2017 veio reforçar a liderança nacional da instituição nesta área.

O ano de 2017 foi mais um ciclo de consolidação da missão da Universidade do Porto de proteger e valorizar o conhecimento produzido dentro da instituição. As patentes ativas, cujo portfolio é gerido pela U.Porto Inovação, chegaram a 242, tendo sido feitos, só no ano passado, 11 novos pedidos de prioridade de patente em território nacional e 5 em território internacional. Somando a esses números, foram efetuados 40 pedidos de extensão de patente para territórios como Europa, Estados Unidos, Japão, China, Singapura, entre outros.

Estes números contribuíram para que a Universidade do Porto fosse a instituição portuguesa com mais pedidos de patente em 2017, segundo o European Patent Office, com um total de 12 pedidos de patente em território europeu. Essas submissões dizem respeito ao perímetro consolidado da U.Porto, incluindo institutos associados, contando 6 submissões de patente por parte de Faculdades da Universidade e 6 do INESC TEC.

De ressalvar também são as patentes concedidas durante o ano passado, que totalizam 29 entre nacionais e internacionais. Atualmente, a U.Porto conta já com 17 patentes concedidas nos Estados Unidos, 51 em território Europeu, 4 em Singapura, 2 no Japão, entre outras em diferentes territórios espalhados pelo mundo. Foi também em 2017 que se alcançou a 50.ª concessão de patente portuguesa para a Universidade do Porto.

Impulsionar o empreendedorismo na comunidade

A valorização económica da ciência produzida na U.Porto tem levado a um aumento do número de patentes e de spin-offs criadas na instituição.

Outra das apostas fortes da U.Porto Inovação, desde a sua criação em 2004, tem vindo a ser o apoio ao empreendedorismo. E isso pode acontecer ao nível do apoio pessoal e direcionado, ou da colaboração com novas ideias de negócio e empresas nascidas no seio da Universidade do Porto. Em 2017 houve um significativo aumento do número de empresas com a chancela Spin-off U.Porto (47 novas empresas durante o ano), o que fez com que o número de empresas do grupo exclusivo The Circle ascendesse a 58 no final do ano passado.

A par disso, 2017 foi o ano de regresso do Business Ignition Programme (BIP), um programa de iteração de modelos de negócio imersivo. No ano passado a U.Porto Inovação, em parceria com o CIIMAR e o INESC TEC, organizou duas edições do BIP que envolveram 22 ideias e mais de 80 participantes. Das 22, cinco foram premiadas.

A terceira missão da Universidade do Porto, que consiste numa maior aproximação da mesma à indústria, bem como por uma mais eficaz valorização económica e social do conhecimento gerado na Universidade, foi outro dos focos da U.Porto Inovação. As sessões A2B, que já são um habitué na atividade do gabinetederam as boas vindas a empresas como EFACEC, Cooprofar-Medlog, CTT, JTC Corporation, Grupo OENEO, Sogrape Vinhos e Zoetis. Durante 2017 foram organizadas 8 sessões, nas quais participaram mais de 200 pessoas, entre investigadores e membros de grandes empresas e startups. Ainda dentro do esforço de aproximação à indústria, foi criado o conceito ideA2B, que consiste em aprofundar um pouco mais a relação com as empresas, potenciando de igual forma encontros entre investigadores e empresários, mas incluindo também, nessas reuniões, a presença de especialistas em inovação para ajudar a alavancar o processo de colaboração. A primeira ideA2B teve lugar nas instalações da Cooprofar-MedLog e o balanço foi bastante positivo.

Constança Paúl recebe das mãos do Pró-Reitor Carlos Melo Brito o galardão de Inovação Social durante a Gala da Inovação 2017.

Já perto do fim do ano, a U.Porto Inovação organizou a 3.ª edição da Gala da Inovação da Universidade do Porto. O Museu do Carro Elétrico foi o palco escolhido para acolher os mais de 300 convidados e celebrar o que de melhor se faz ao nível de inovação na Universidade. Sob o mote “O engenho humano”, foram homenageadas 3 figuras da U.Porto: Constança Paúl, na área da Inovação Social, Jorge Lira, na Inovação Artística, e Adélio Mendes, o primeiro vencedor do Prémio Inovação Tecnológica – iniciativa da U.Porto Inovação apoiada pelo Santander Universidades.

Como refere Maria Oliveira, coordenadora da U.Porto Inovação, em jeito de balanço do que foi o último ano, “é um privilégio a equipa continuar a ajudar a fazer da inovação um dos principais pilares da Universidade do Porto, promovendo o conhecimento e as competências aqui desenvolvidas”.

A brochura da U.Porto Inovação em números, referente ao ano de 2017, está disponível para consulta aqui.