U.Porto lidera cooperação com países da África, Caraíbas e Pacífico

A cooperação académica e científica e o apoio à mobilidade dos melhores estudantes e funcionários são algumas das linhas mestras do consórcio.

Chama-se DREAM ACP, é um consórcio coordenado pela Universidade do Porto e, nos próximos quatro anos, vai mobilizar mais de 4 milhões de euros para a promoção de oportunidades de mobilidade para estudantes, investigadores e pessoal académico e administrativo entre a Europa e a região da África, Caraíbas e Pacífico (ACP).

Implementado no âmbito do programa Erasmus Mundus , Ação 2, o DREAM ACP tem como grande objetivo o reforço da cooperação institucional entre universidades europeias e as suas congéneres dos países ACP. Entre as formas de colaboração previstas estão a cooperação académica e científica e o apoio à mobilidade dos melhores estudantes e funcionários.

Para atingir este último objetivo, o DREAM ACP prevê a atribuição de cerca de 200 mobilidades a a estudantes, docentes e investigadores provenientes das instituições parceiras. As candidaturas para a primeira edição do projeto decorrem até 15 de dezembro de 2013 e podem ser feitas em aqui.

Numa primeira fase, ao consórcio liderado pela U.Porto integra 12 instituições parceiras de países ACP (Trinidad e Tobago, Angola, Cabo Verde, Chad, Etiópia, Fiji, Gabão, Madagascar, Moçambique, Nigéria, Timor-Leste e Zâmbia) e oito europeias (Portugal, Bélgica, França, Itália, Espanha e Reino Unido). A estas junta-se um grupo alargado de instituições associadas, de países como o Benin, Camarões, Congo, Djibouti, República Dominicana, Gabão, Guiné Bissau. Togo, Quénia, Jamaica, Papua Nova Guiné e Samoa.

O arranque do DREAM será oficializado esta terça e quarta-feira, dias 19 a 20 de novembro, na Reitoria da Universidade do Porto, com um KickOff Meeting (Reunião de Lançamento). Nesta reunião inaugural, os representantes das cerca de 30 universidades parceiras e associadas vão ter a oportunidade de discutir os procedimentos relativos à execução do projeto, bem como  fomentar novos laços de cooperação em prol da sustentabilidade do projeto.

Recorde-se que, desde 2009, ano da comunicação dos resultados da primeira convocatória da segunda fase do Programa Erasmus Mundus, a Universidade do Porto tem vindo a consolidar a sua posição no âmbito da participação deste programa. Atualmente, a U.Porto assume a coordenação de oito projetos – o que representa um investimento europeu na ordem dos 32 milhões de euros – e participa em 36 outros, números que a colocam no quarto lugar entre as 98 universidades que coordenam consórcios e no top 10 entre as 400 universidades participantes em projetos internacionais.