U.Porto aplica 120 mil euros para fazer crescer projetos inovadores

Seis projetos da Universidade do Porto vão receber, cada um, 20.000 euros para apoio a provas de conceito no âmbito do programa BIP proof, promovido pelo U.Norte Inova, Quatro dos projetos vêm da Faculdade de Ciências (FCUP) e dois da Faculdade de Engenharia (FEUP).

Um dos projetos premiados é o WEStoreOnTEX, focado no desenvolvimento de têxteis e acessórios flexíveis capazes de armazenar energia para alimentar dispositivos eletrónicos e sensores integrados na roupa. “Este financiamento é muito importante para a realização do scale-up da tecnologia a uma escala piloto. Será também um apoio aos custos inerentes para avançar no processo de validação da tecnologia e avaliação do seu potencial de comercialização”, refere Clara Pereira, investigadora da FCUP e uma das mentes por trás deste projeto que pretende contribuir “para o crescimento da Indústria Têxtil, um dos setores fundamentais para a economia nacional”.

Também na FCUP, foi selecionada a equipa MitoSKIN, liderada por Fernanda Borges. O trabalho deste grupo de investigação tem-se centrado no desenvolvimento e aplicação de moléculas antioxidantes em produtos cosméticos capazes de retardar os efeitos do envelhecimento da pele. Essas moléculas, no entanto, têm também “aplicação direta como princípios ativos que poderão dar origem a terapêuticas para várias doenças neurodegenerativas e hepáticas, para as quais de momento não existe qualquer tratamento eficaz”, explicam os investigadores. No que toca ao financiamento do BIP proof, a equipa vai utilizá-lo para provas de conceito em modelos mais próximos da utilização final da tecnologia bem como em execução de “provas necessárias para ultrapassar barreiras regulamentares de acesso ao mercado”.

O projeto Catalvalor, das investigadoras e empresárias Andreia Peixoto e Cristina Freire (FCUP), já deu origem a uma empresa spin-off U.Porto. (Foto: DR)

O projeto Catalvalor, das investigadoras e empresárias Andreia Peixoto e Cristina Freire (FCUP), foi outro dos selecionados. Este projeto, que deu entretanto origem à Innovcat – empresa spin-off U.Porto – pretende trazer ao mercado novos catalisadores para a produção de biodiesel que, sendo de origem natural, em final de ciclo de vida não terão impactos ambientais significativos pois podem ser reciclados. O financiamento agora conquistado será “muito útil para contratação de serviços especializados para o desenvolvimento técnico da prova de conceito, consultoria técnica proteção da propriedade intelectual a um nível internacional”, refere Cristina Freire.

O quarto projeto da FCUP a beneficiar do programa BIP proof é o TriboE. Trata-se de uma tecnologia cuja mais-valia se depreende com a necessidade de “aumentar a segurança e o controlo dos sistemas de monitorização de água. O triboE ambiciona tornar esses sistemas mais autónomos e sem necessidade de recarregar bateria”, explica o investigador João Ventura, acrescentando que “os 20.000 mil euros serão aplicados maioritariamente no recrutamento de serviços especializados para o avanço da tecnologia, nomeadamente na componente eletrónica do sistema”.

No que toca aos projetos “made in “FEUP, encontramos o Rheinforce. nome atribuído a uma tecnologia criada pelos investigadores Francisco Galindo Rosales e Laura Campo Deaño que “permite modificar as propriedades amortecedoras de diferentes materiais (cortiça, silicone, etc.) mediante a adição de um fluido complexo”. Estes fluidos são depois incorporados numa rede de canais muito pequenos e o compósito resultante garante “propriedades amortecedoras personalizadas e otimizadas para a situação em questão, seja ela um impacto súbito, situações de vibração ou de ruído”. A construção de um protótipo é o passo seguinte e no qual será aplicado o dinheiro do proof: “Queremos desenvolver, através de uma colaboração com um parceiro industrial, um protótipo certificado que incorpore a nossa tecnologia (um capacete de ciclismo de cortiça reforçada)”, revela o investigador, acrescentando que “esta prova de conceito será capaz de mostrar os benefícios potenciais que a tecnologia pode trazer tanto para as matérias-primas como para os produtos finais.”

A Audio-GPS foi a ideia vencedora da última edição do iUP25k, o concurso de ideias de negócio da U.Porto. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

A outra tecnologia da FEUP a garantir financiamento é a Audio-GPS. A ideia vencedora da última edição do iUP25k consiste numa tecnologia de localização global para espaços interiores idealizada por três investigadores da FEUP. Permite ao utilizador captar, através do smartphone ou do tablet, sinais aúdio – impercetíveis de forma a poder orientar-se melhor em espaços interiores.

Este financiamento é assegurado pelo BIP proof, um programa de provas de conceito do projeto U.Norte Inova. O principal objetivo é criar um sistema de provas de conceito que visam estimular a concretização de etapas de valor condicionantes à valorização de resultados de investigação promissores. Essas provas de conceito podem traduzir-se em construção de protótipos de viabilidade técnica, realização de ensaios in vitro/in vivo, estudos de viabilidade ou de mercado, entre outras, para que se possa acrescentar valor aos resultados da investigação.

A análise das propostas e sua seleção esteve a cargo da U.Porto Inovação, com base nas comunicações de invenção recebidas no decurso da sua atividade” O U.Norte Inova, um projeto financiado pelo Norte2020, Portugal 2020 e União Europeia tem como parceiros a Universidade do Porto, a Universidade do Minho, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a TecMinho.