U.Porto premeia cinco estudantes exemplos de cidadania

Daniel Freitas, antigo presidente da FAP, é um dos cinco estudantes que vai receber o Prémio Cidadania Ativa entregue pela U.Porto.

Da Solidariedade ao Empreendedorismo, passando pela Pedagogia e pelo Ambiente. Ao longo do último ano, cinco estudantes da Universidade do Porto destacaram-se pelo empenho e participação em atividades extracurriculares nestas quatro grandes áreas, sendo por isso os vencedores da quarta edição dos Prémios Cidadania Ativa., a ser entregues no dia 22 de março, no âmbito das comemorações do Dia da Universidade.

Na vertente Humanitária e/ou Solidária, a U.Porto distinguiu Ana Leite pelo trabalho desenvolvido enquanto presidente da VO.U. – Associação de Voluntariado Universitário. A Associação, que vai celebrar o nono aniversário, atua em áreas tão distintas como o apoio a idosos, a formação em suporte básico de vida ou a preservação da natureza. A estudante do Mestrado Integrado em Medicina no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) apontou a manutenção e o desenvolvimento da Associação como as suas grandes prioridades durante o último ano.

Beatriz Salvado da Fonseca, estudante de Economia na FEP, é a vencedora no campo do Empreendedorismo pela participação no projeto ONGD MOVE, cuja 11.ª edição decorreu em Timor-Leste. A MOVE é uma organização não governamental para o desenvolvimento que tem como principal objetivo fomentar o empreendedorismo em São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, locais onde está presente neste momento. Beatriz Fonseca integrou, entre outros, um projeto onde desenvolveu medidas que permitissem aumentar o salário das mulheres da Cooperativa Boneca de Ataúro.

Na vertente Pedagógica, a U.Porto premiou dois estudantes. Ana Rita Ramalho, da Faculdade de Medicina (FMUP), e Daniel Freitas, da Faculdade de Engenharia (FEUP).

Ana Rita Ramalho, estudante do Mestrado Integrado em Medicina na FMUP, desenvolveu uma estratégia pedagógica de adequação da oferta curricular aos interesses dos estudantes, o que lhes possibilitou a maximização e a individualização das suas competências. Segundo Maria Amélia Ferreira, professora catedrática da FMUP que propôs a nomeação, a Ana Rita “demonstra qualidades invulgares de organização e de liderança na área pedagógica”. A premiada é a presidente da Associação Nacional de Estudantes de Medicina e integra, de igual modo, projetos de publicação e de social accountability.

Daniel Freitas, estudante do Mestrado em Engenharia de Serviços e Gestão na FEUP, foi distinguido pelo seu percurso enquanto presidente da Federação Académica do Porto (FAP). Durante o mandato na FAP, Daniel Freitas publicou o estudo “Bolsas de estudo no Ensino Superior – duas décadas depois”, que constitui um importante acervo documental para as discussões sobre bolsas de estudo. Foi sob a sua liderança que a FAP inaugurou o Pólo Zero, um espaço dedicado aos estudantes, à promoção de emprego e ao empreendedorismo e dinamização cultural. Representou, no último ano, os jovens portugueses no Encontro Cívico de Jovens em Medellín e foi o único português selecionado para a XIV Edição do Programa Jovens Líderes Ibero-americanos, em Espanha.

No domínio Ambiental, a U.Porto distinguiu Rafael Rocha, estudante do ICBAS, pela sua intervenção no projeto VO.U. pela Natureza, no âmbito do trabalho desenvolvido pela VO.U. A frequentar o Mestrado Integrado em Medicina, Rafael Rocha foi um dos coordenadores de um projeto que organizou sessões em escolas, de modo a sensibilizar os alunos para temas como a reciclagem, a poluição e a conservação da fauna e da flora em Portugal. O trabalho não se limitou apenas a isto, porque desde censos de aves a plantações de árvores, passando pela recolha de lixo nas praias, o VO.U. pela Natureza conseguiu obter um total de 400 árvores plantadas e mais de 40 espécies de aves e 100 de insetos monitorizados em todo o país.

O Prémio de Cidadania Ativa da U.Porto vai ser entregue no dia 22 de março, no Salão Nobre da Reitoria, durante a cerimónia comemorativa do Dia da Universidade.