U.Porto na criação da futura Comunidade de Inovação do Noroeste

Noroeste_Global

Os fundadores da Plataforma de Cooperação Noroeste Global assinaram o protocolo de criação no Círculo Universitário do Porto. (Foto: Fundação Calouste Gulbenkian).

A Universidade do Porto é uma das instituições fundadoras da Plataforma de Cooperação Noroeste Global. Do Minho a Aveiro, quatro municípios e quatro universidades associaram-se à COTEC e à Fundação Calouste Gulbenkian para criar uma plataforma de cooperação que pretende aumentar a capacidade de inovação e internacionalização do Norte e Centro litoral.

O Círculo Universitário do Porto foi o palco da cerimónia de assinatura do protocolo de criação desta estrutura que reúne as câmaras municipais de Braga, Guimarães, Porto e Aveiro e as universidades do Minho, Porto, Católica do Porto e Aveiro. O objetivo da plataforma é a criação de condições para o surgimento de uma Comunidade de Conhecimento e Inovação (Knowledge and Innovation Community) que coloque as universidades, as autarquias e as empresas da região a trabalhar em conjunto para a captação de fundos comunitários no âmbito do Horizonte 2020.

Como lembrou o presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Artur Santos Silva, estão reunidas as condições estruturais suficientes para atingir este objetivo: cerca de 36% da população portuguesa está instalada no Noroeste do país, é desta região que saem cerca de 50% das exportações nacionais e foi aqui que o Estado fez o maior investimento nos últimos 30 anos no sistema científico e de Ensino Superior.

Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da Universidade do Porto e um dos signatários do protocolo de criação da Plataforma Noroeste Global, fez questão de frisar que «este é um passo muito importante para agilizar a interação entre a universidade e a sociedade». E uma das questões mais determinantes para esta interação será a perceção, pela sociedade, da «absoluta necessidade de absorver os quadros com formação superior para que sejamos mais competitivos globalmente».

A Plataforma Noroeste Global nasceu como resultado do estudo apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, coordenado por Félix Ribeiro e João Ferrão, que faz um levantamento do Noroeste em termos geográficos, demográficos e ambientais. O estudo, editado em livro, descreve as principais atividades, clusters de empresas exportadoras e polos de indústria pesada, bem como os polos de Ensino Superior, centros de investigação e de competência das Universidades e dos Politécnicos desta macrorregião.

A Plataforma agora criada será coordenada pelo antigo vice-reitor da universidade do Porto, Jorge Gonçalves, e terá competências específicas na área dos Projetos de Investigação e de Investimento, para melhor competir na captação de fundos estruturais e de investimento estrangeiro. A Plataforma terá ainda de criar a marca Noroeste Global enquanto macrorregião fundamental para o desenvolvimento português.