U.Porto leva inovação a universidades de todo o mundo

A U.Porto foi a única instituição de ensino superior portuguesa escolhida pela CE para coordenar mais do que um projeto E+ CBHE. (Foto: Egidio Santos / U.Porto)

A Universidade do Porto viu recentemente aprovadas as candidaturas à coordenação e participação em seis projetos do programa E+ CBHE (Capacity Building in the field Higher Education), uma iniciativa englobada na Ação-Chave 2 (KA2) do Programa Erasmus + e que tem como objetivos apoiar as universidades de países parceiros do programa – maioritariamente não-europeus – na modernização, internacionalização e melhoria das suas práticas, capacidades e políticas no domínio do Ensino Superior.

Dos seis projetos aprovados, cujo financiamento total ascende aos 6 milhões de euros, destacam-se os dois cuja coordenação estará nas mãos da U.Porto. Esta é de resto a primeira vez que a Comissão Europeia confia à Universidade a coordenação de projetos E+ CBHE desde a reformulação do programa Erasmus+, em 2014.

Um dos projetos aprovados chama-se BuzNet – B-Learning Uzbekistan Veterinary Network e, durante os próximos três anos, vai aplicar perto de um milhão de euros (971.852 mil euros) na melhoria do ensino e da prática veterinária no Uzbequistão. Liderado por Augusto Faustino, professor do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), o consórcio coordenado pela U.Porto, em parceria com outras oito instituições de ensino superior (IES) europeias e uzbeques, tem como objetivo implementar uma comunidade de ensino envolvendo os professores, estudantes e veterinários das diferentes instituições envolvidas, recorrendo para isso a uma plataforma de B-Learning (BLUzVet). Desta rede de conhecimento, que no futuro poderá ser exportável para outros países e regiões, espera-se que resultem contributos para melhorar o ensino da veterinária, mas também o apoio local aos donos de rebanhos, os serviços de clínica e cirurgia  animal e o controlo da qualidade do leite.

O outro projeto chama-se RecMat – Recognition matters e será coordenado pelo Serviço de Relações Internacinais da U.Porto. Neste caso, a U.Porto vai trabalhar com outras universidades europeias, da Argentina e do Brasil no domínio do reconhecimento académico (reconhecimento e respectiva creditação dos estudos realizados durante um período determinado numa outra instituição parceira), procurando desta forma contribuir para facilitar e promover a mobilidade entre a Europa e a América Latina, através da redução das barreiras à integração académica. Os 648.228 mil euros canalizados para este projeto servirão também para capacitar as IES da América Latina a implementar processos mais justos e transparentes nestas matérias.

Para além dos dois projetos que vai coordenar, a U.Porto participa ainda enquanto entidade parceira em quatro projetos / consórcios liderados por outras universidades. São eles os projetos: “Change in Classroom: Promoting innovative teaching & learning to enhance student learning experience in eastern partnership countries”, coordenado pela Yerevan State University (Arménia) e com um orçamento de 997.506 mil euros;  “Development of the interdisciplinary master program on computational linguistics at central asian universities”, coordenado pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha) e financiado em 761.450 mil euros; “Development of Higher Education institution internationalizrion policies”, coordenado pela Università di Pisa (Itália) e financiado em 983.253 mil euros; e “Observatorio par ala inserción laboral y fortalecimiento de la empleabilidad em países de la Alianza del Pacifico”,  coordenado pela Universidad Distrital Francisco Jose de Caldas (Colômbia) e com um orçamento de 985.695 mil euros.

No total, a edição deste ano do programa E+ CBHE reuniu 756 candidaturas consideradas elegíveis. Destas, apenas 149 – menos de 20% – foram selecionadas para financiamento.

Se reduzirmos os resultados ao quadro do ensino superior português, encontramos IES nacionais envolvidas em 34 projetos CBHE aprovados, ainda que só quatro sejam coordenados a partir do nosso país. A U.Porto é a que mais projetos coordena (2), seguida do Instituto Politécnico do Porto e da Universidade Nova de Lisboa, cada qual com um projeto.

Com estas conquistas, a U.Porto eleva assim para 12 o número de projetos E+ CBHE em que está envolvida como entidade coordenadora ou parceira. Para além dos seis que acabam de ser aprovados, a Universidade é parceira em mais seis projetos (quatro aprovados em 2015 e dois em 2016) que envolvem as regiões da Ásia, América Latina e norte de África, reforçando assim o seu papel no quadro da cooperação internacional no ensino superior, com especial enfoque no Programa Erasmus +.