U.Porto já levou Nutriciência à mesa de 1000 famílias portuguesas

NutriciênciaContribuir para melhorar os hábitos alimentares das famílias portuguesas é o grande objetivo do Nutriciência: Jogar, Cozinhar e Aprender, um projeto promovido e desenvolvido pela Universidade do Porto, em parceria com a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) e com a Universidade de Oslo (Noruega), e que, na sua primeira fase de implementação, registou a participação de 63 instituições de 34 Misericórdias, num total de 946 famílias, além de 249 educadoras inscritas na plataforma e 200 inscritas num curso online de Nutrição.

Dezenas de pessoas estiveram presentes na cerimónia de lançamento da segunda fase do Projeto Nutriciência, que decorreu em Fátima, no passado dia 15 de setembro. A sessão serviu também para fazer um balanço muito positivo da primeira fase e para premiar as Misericórdias que mais se destacaram nas diversas atividades desenvolvidas ao longo dos últimos meses, culminando com um “Show Cooking” protagonizado pelo Chef Hélio Loureiro.

José Azevedo, professor da Faculdade de Letras da U.Porto (FLUP) e Coordenador do Nutriciência, classifica a experiência desta primeira fase como “muito positiva”. Uma opinião compartilhada por Patrícia Padrão, professora da Faculdade de Ciências da Alimentação e Nutrição (FCNAUP), e por António Coelho, da Faculdade de Engenharia (FEUP, que integram o projeto.

Para Alida Endresen, Conselheira da Embaixada da Noruega, um dos Estados financiadores através dos EEA Grants, o Nutriciência é mesmo “um exemplo de um trabalho de elevada qualidade, de foco na saúde pública e de impacto direto nos cidadãos. A saúde pública é a base de uma sociedade próspera e mais igualitária. Os parceiros estão de parabéns por se terem proposto a este desafio e por chegarem à segunda fase com sucesso”.

As representantes da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), operador do Programa “Iniciativas em Saúde Pública”, em que o Nutriciência se insere, salientaram a “abordagem integradora”, que inclui educadores de infância, pais e as crianças, além do caráter inovador na área da educação alimentar, através do recurso às novas tecnologias, incluindo uma plataforma online e um jogo educativo, o TuttiNutri, que vai ser apresentado em breve.

“O Nutriciência consegue chegar mais perto das famílias e das camadas populacionais mais jovens e, assim, alterar os comportamentos alimentares da população portuguesa”, afirmou Joana Almeida.

Segundo Inês Ferreira, também da ACSS, “a primeira fase permitiu desenvolver conteúdos e testar a metodologia, seguindo-se agora uma segunda fase em que vamos fazer as mesmas atividades, mas com um novo conjunto de famílias. No final, vamos perceber se esta abordagem que o Nutriciência está a preconizar resulta e se pode ser replicada posteriormente. Eu acredito que sim”.

“Segunda fase será ainda melhor”

Apresentação do Projeto Nutriciência

O lançamento da segunda fase do Projeto Nutriciência decorreu em Fátima, no passado dia 15 de setembro. (Foto: DR)

Também o representante da União das Misericórdias Portuguesas, Paulo Moreira, faz “um balanço francamente positivo. Nós notamos que, em muitos dos estabelecimentos, houve uma melhoria efetiva das práticas alimentares. Esta segunda fase será uma oportunidade para consolidar e reforçar o que já foi feito. Tudo leva a crer que será ainda melhor do que a primeira. No futuro, iremos disseminar estas boas práticas por todas as Misericórdias”.

Os testemunhos de educadoras presentes na cerimónia vão no mesmo sentido. “Este é um projeto fantástico. Conseguimos introduzir conceitos de alimentação saudável, com baixo teor de sal e de açúcar e com grande consumo de hortofrutícolas. Muitas pessoas deram-nos os parabéns e pediram-nos que passássemos alguma informação para outras escolas, o que nos motivou para continuarmos. Já temos, inclusivamente, algumas atividades pensadas”, disse a educadora Dora Ratinho Cabeça, da Misericórdia de Ponte de Sôr.

Os pais também aderiram em força, embora só alguns tenham sido premiados pelas suas receitas. Foi o caso de Carlos Valença e Sandra Martins, pais do Rodrigo, da Misericórdia de Viana do Castelo. “Todos os pais acharam engraçado. Uns puxavam pelos outros. O Rodrigo adorou o projeto. Agora é o primeiro a chamar-nos a atenção para o que faz bem ou mal”, notam.

De facto, como diz o Chef Hélio Loureiro, “é de pequenino que se torce o pepino. As pessoas deixaram de ligar à alimentação, alhearam-se da importância que a alimentação tem para a saúde e para o bem-estar e hoje são as crianças que vão educar os pais e dizer-lhes o que devem ou não comer para que eles também vivam mais saudáveis”.

Durante a primeira fase do Nutriciência foram lançados 11 desafios às famílias e às Misericórdias, dos quais resultaram em 1312 publicações na plataforma online. As inscrições para a segunda fase já estão a decorrer.

Sobre o Nutriciência

O Nutriciência é um projeto financiado pelo Programa EEA Grants (Projeto 0085NU1) com o apoio do Serviço Nacional de Saúde (Ministério da Saúde), Administração Central do Sistema de Saúde IP e Programa “Iniciativas em Saúde Pública”. É promovido pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, em parceria com a Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação, Faculdade de Engenharia, União das Misericórdias Portuguesas, Santa Casa da Misericórdia do Porto, Rádio Televisão – RTP e a Universidade de Oslo.