U.Porto é exemplo no acolhimento a estudantes refugiados

Entre 2014 e 2017, a U.Porto acolheu sete estudantes ao abrigo da Plataforma Internacional Global Platform 4 Syrian Students. (Foto: U.Porto)

A Universidade do Porto é uma das instituições de ensino superior em destaque no catálogo de Boas Práticas do Projeto In HERE da European University Association (EUA), uma iniciativa que promove as universidades que se distinguem, a nível internacional, pelas políticas de acolhimento a estudantes e investigadores refugiados.

A U.Porto surge neste guia devido ao seu envolvimento na Plataforma Internacional Global Platform 4 Syrian Students, um programa de acolhimento e apoio a estudantes Sírios iniciado no ano letivo 2013/2014, como resposta à grave crise humanitária que originou milhões de deslocados naquele país e atirou milhões de crianças e jovens para situações precárias. Impulsionada pelo ex-Presidente da República Jorge Sampaio, na qualidade de Alto Representante das Nações Unidas para a Aliança das Civilizações, esta iniciativa trouxe sete estudantes à U.Porto, aos quais foi garantido o pagamento das propinas dois programas de estudos que estão/estiveram a frequentar, bem como os encargos com alojamento, preparação linguística, entre outros.

Durante a sua estadia em Portugal, os estudantes acolhidos na U.Porto foram também alvo de um acompanhamento muito próximo por parte do Serviço de Relações Internacionais da Universidade. Como resultado, registaram, não só, um desempenho escolar muito positivo, como uma integração académica positiva e consistente.

A participação da U.Porto na Plataforma Internacional Global Platform 4 Syrian Students foi uma das quase 300 iniciativas de acolhimento a refugiados desenvolvidas por instituições de ensino superior e organizações parceiras da EUA de 32 países (ver mapa) que foram analisadas no âmbito do inHERE Good Practice Catalogue (GPC). Os melhores casos foram selecionados após uma análise aprofundada que teve como base critérios como a capacidade de integração dos estudantes na vida académica e social dos países de acolhimento.

Organizado pela UNIMED | Unione delle Università del Mediterraneo e financido por fundos Europeus do Programa Erasmus+, o guia evidencia o trabalho realizado pelas universidades em 11 grandes áreas (Recognition, Access to higher education, Financial support for refugee students, Language and bridging courses, Integration measures, Employment opportunities for refugee researchers and academic staff, Online learning for refugees, Strategic approaches, Employability, Humanitarian work e Collaboration. A U.Porto surge em destaque nas áreas de Financial support for refugee students e Collaboration.

O apoio aos estudantes sírios não é, porém, o único projeto que a U.Porto vem desenvolvendo junto de grupos desfavorecidos e populações em situação de vulnerabilidade. Adicionalmente, a Universidade tem participado ativamente em vários programas internacionais, nomeadamente em Projetos Erasmus Mundus – Ação 2, financiados pela Comissão Europeia, através dos quais tem vindo a apoiar estudantes vulneráveis, oriundos de zonas de conflitos, desastres naturais, vítimas de perseguição política em países como Argélia, Colômbia, Congo Rwanda, Nepal, Nigéria, Myanmar, Sudão, entre outros.

Mais informações em https://www.inhereproject.eu/.