U.Porto é a universidade ibero-americana com mais centros de investigação

A U.Porto é a segunda instituição com mais patentes internacionais registadas entre 2007 e 2010.

A Universidade do Porto (com 61) e a Universidade de Coimbra (com 51) são as universidades com o maior número de centros de investigação dentro do espaço ibero-americano. Esta é uma das principais conclusões do livro “Análise da atividade de Investigação + Desenvolvimento + Inovação + Empreendedorismo nas universidades ibero-americanas”, que foi apresentado esta quinta-feira, 22 de maio, na Universidade do Porto, no âmbito da reunião bienal da RedEmprendia.

A publicação, editada pela RedEmprendia, analisa o papel de 17 das universidades mais importantes de seis países – Portugal, Espanha, Brasil, México, Chile e Colômbia – no processo de criação de empresas a partir dos resultados de investigações universitárias e conta, tal como as restantes atividades da RedEmprendia, com o patrocínio do Banco Santander, através da sua divisão global Santander Universidades.

Além de liderar o universo das universidades ibero-americanas no que toca ao número de centros de investigação, a U.Porto é a segunda instituição com mais patentes internacionais registadas no período compreendido entre 2007 e 2010 (com um total de 15, superada apenas pela Universidade Politécnica de Valência) e fecha o pódio das universidades universidades com mais spin-offs criadas em 2010. A instituição portuense destaca-se também  pela sua elevada percentagem de patentes internacionais (cerca de 33% do total de patentes submetidas), figurando ainda como a quarta universidade com maior número anual de publicações ISI no período 2007-2010 e entre as as quatro instituições com o maior número de estudantes por professor.

Segundo os dados analisados, Portugal é, entre os seis países analisados, aqueles que regista o maior investimento na área da Inovação e Desenvolvimento (em relação ao seu Produto Interno Bruto). Juntamente com Espanha e o Brasil, Portugal é o único a superar a percentagem de 1% da riqueza total investida (PIB) neste domínio Esta situação reflete-se, também, na elevada proporção de “capital humano avançado”, sendo Portugal o país que conta com o maior número de investigadores por milhão de habitantes (4.031). E apenas fica atrás da Espanha na proporção de publicações científicas (390) por milhão de habitantes entre 2008 e 2012.

Estudo liderado por professor da Pontifícia Universidade Católica do Chile foi apresentado em sessão pública na Reitoria da U.Porto.

O estudo de Alfonso Cruz, professor da Pontifícia Universidade Católica do Chile, foi apresentado numa sessão pública em que foram expostas as principais conclusões dos seus 42 “indicadores de inovação e empreendedorismo”, agrupados nos temas “Capital Humano”; “Recursos e Infraestruturas”; “Instituições e Serviços” e “Resultados e Formação de Capacidades”. Na apresentação do livro esteve presente o diretor de Empreendedorismo da Pontifícia Universidade Católica do Chile, Cristóbal García, Manuel Laranja, vice-diretor do Instituto para a Investigação Interdisciplinar da Universidade de Lisboa, Bernardo Sá Nogueira, da rede Universia e Senén Barro Ameneiro, presidente da RedEmprendia.

Em suma, o autor da publicação assinala que os países da Península Ibérica têm um maior número de capital humano mais avançado, publicações e pedidos de patentes, o que proporciona um ambiente favorável para o contexto de I & D, inovação e empreendedorismo. No entanto, apenas uma das conclusões deste estudo é que, em geral, não há universidades líderes no conjunto de indicadores e variáveis ​​consideradas, mas que a liderança se verifica por as áreas, facto que abre uma oportunidade para o diálogo e ao intercâmbio de boas práticas entre universidades da América Latina , no interesse da melhoria contínua .

O livro “Análise das atividades de Investigação + Desenvolvimento + Inovação + Empreendedorismo em universidades iberoamericanas” é um dos primeiros trabalhos a nível mundial onde a contribuição das universidades para a inovação e a criação de empresas aparece como um processo contínuo. A pesquisa também fornece informações úteis para as entidades envolvidas na concepção e implementação de políticas públicas em matéria de I + D + i.

A publicação está disponível para download gratuito em formato digital no site da RedEmprendia.